Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Esportes

Futuro do São Carlos FC é incerto para 2020

Fundador do clube, Júlio Biachim tenta reaver a equipe na Justiça. Time está na Série B do Paulista e ainda não sabe se irá jogar neste ano

| ACidadeON/São Carlos

Estádio Luís Augusto de Oliveira, o Luisão. Foto: Luã Viegas/ ACidade ON
 

O Futuro administrativo do São Carlos Futebol Clube é incerto para 2020. A equipe vive um disputa jurídica pela presidência do clube que, hoje, é administrada por Carlos Antunes.

O empresário Júlio Biachim, fundador do clube, tenta reaver a equipe na Justiça. O São Carlos está na Série B do Campeonato Paulista e ainda não sabe se o time irá jogar neste ano.

O futuro do São Carlos FC será decido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo após o dia 20 de janeiro. Um perito irá analisar as contas do clube e um laudo será apresentado ao juiz que comanda o caso.

"Meu Interesse é retomar o São Carlos de volta e fazer justiça que tem que ser feita. Na minha opinião, o que ele vem fazendo com o clube é um desrespeito com a cidade. Ele não é um cara daqui, ele não respeita os torcedores, então uma pessoa dessa não pode ficar a frente de um clube daqui", disse o empresário Júlio Biachim.


Briga na Justiça

Fundador do clube em 2005, Julio Biachim cedeu em 2013, 80 % do clube para a Alfa Empreendedora e, desde então, o time é presidido por Carlos Antunes.

"Eu já estava há 9 anos à frente do clube e é muito desgastante. Foi quando a gente cedeu parte do clube a Alfa Empreendedora, foi uma questão de ter um investidor mais forte. O proprietário disse que iria fazer várias coisas, a gente documentou tudo e a partir de então foi feita a concessão do clube para eles, como eles iriam colocar o dinheiro, queriam comandar o clube", contou.

Segundo Biachim, o acordo de concessão prévia investimentos no clube, pagamento de dívidas e novos patrimônios. Porém, esses requisitos não foram cumpridos pela administração.

"Primeiro é a falta de pagamentos que ele (Antunes) não cumpriu, que era para pagar dívidas do passado do clube. Ele não honrou as dívidas de ações trabalhistas. No meu entendimento, hoje a dívida supera os R$ 2 milhões, com relação trabalhistas, fornecedores e processos. Como tenho ainda parte do clube no meu nome, automaticamente essas dívidas estão recaindo sobre mim", disse Biachim.

O empresário contou que hoje tem pagado dívidas que foram adquiridas por esta gestão atual. A intenção dele é voltar a gerir o clube após esta disputa judicial.

"Agora tem vindo dívida dele para eu pagar. Eu paguei todas as dívidas que tinha da minha época. Meu interesse é reaver o clube. Não fico arrependido de ter cedido o clube, pois fiz na melhor das intenções, eu não tinha um poder de investir como ele propôs", disse.

As atividades do clube se encerraram com o rebaixamento da em abril de 2019 para a Serie B do Campeonato Paulista. Todos os funcionários foram dispensados e nenhum deles sabe quando será a reapresentação.

A reportagem da CBN tentou contato com o presidente Carlos Antunes, mas ainda não obteve resposta.

*Colaboração Gabriela Troian

Mais do ACidade ON