Publicidade

lazerecultura

ON Explica: entenda sobre a tendência e 'regras' dos Podcasts

Ana Luiza Pereira, professora do curso de Imagem e Som da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), fala sobre origem, futuro e dicas de ouro para produzir um podcast

| ACidadeON/São Carlos -

Podcast virou tendência no país e no mundo. Foto: Reprodução Pixabay

Com a constante mudança na tecnologia, está cada vez mais fácil ter acesso a centenas de conteúdos de outros milhares de gêneros. O que tem ganhado força nos últimos tempos é o Podcast. 

Nesta quinta-feira (21) é celebrado o Dia do Podcast, data em homenagem ao crescimento desse formato de mídia no Brasil, que atualmente tem entre 20 e 34,6 milhões de ouvintes, segundo a Associação Brasileira de Podcasters (ABPod). 

De acordo com Ana Luiza Pereira, professora de Imagem e Som na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o podcast não é uma novidade. Ele surgiu em algumas décadas, com o seu formato sendo originado a partir do iPod. Mas, com a popularidade de plataformas de conteúdo como o Spotify, iTunes e Amazon, o acesso e a produção de conteúdo ficaram mais fáceis. 

"A partir dessas plataformas começou a surgir a possibilidade de criar conteúdo em áudio e os usuários acessarem sob demanda, de acordo com o assunto, de acordo com o tema, coisas que gostam de ouvir a respeito. Hoje, se a gente pensar no que se tornou o podcast, tem muito a ver com a questão da multiplicação de plataformas onde se pode acessar esse conteúdo", explicou a professora. 

Com o crescimento do meio de informação, muitas empresas também decidiram utilizar suas estruturas para produzir. "Não é a toa que a gente vê todos esses portais de notícias tem seus podcasts, inclusive as próprias plataformas como o Spotify, mas isso não tira a possibilidade de uma pessoa que resolve fazer um conteúdo, produzir seu próprio podcast e fazer seu conteúdo de qualidade", disse. 

Uma tendência?
Sobre a possibilidade de o podcast ser uma tendência para as próximas gerações do audiovisual, a professora ressaltou que é difícil precisar, mas que é um projeto importante para os produtores de conteúdo independentes. 

"É muito difícil prever o que vai acontecer porque os formatos vêm e vão de acordo com as possibilidades, inovações tecnológicas e as formas de como o conteúdo acaba sendo melhor aceito de uma maneira geral pelo público, mas de qualquer maneira é uma plataforma importantíssima", comentou. 

Brasil tem cerca de 34,6 milhões de ouvintes de podcasts, estima ABPod. Foto: Reprodução Pixabay

Regras de ouro
De acordo com a professora do departamento de comunicação, a produção de podcast não tem "regras a serem seguidas", mas existem coisas que são importantes e merecem atenção durante o processo. 

Ana ressalta que não precisa ter uma grande estrutura, mas é necessário o mínimo de qualidade para captação de áudio, microfones bons e um investimento em equipamentos para um bom resultado. 

"Fora isso, faz parte das questões de produção um grande planejamento em relação ao público-alvo, quem vai ouvir, quem você quer atingir com seu podcast, os personagens que estão envolvidos, se essas pessoas são da vida real ou são personagens ficcionais que vão fazer esse diálogo com o público, questão de gênero e formato, que tipo de podcast, se é um bate papo, entrevista, ficcional, contar histórias [...] Enfim, isso vai depender também da capacidade de produção que você pode ter para cada tipo de podcast", explicou. 

Além desses "detalhes", também é necessário atenção para a definição de duração dos episódios, a periodicidade, definições de roteiro e/ou pautas a serem tratadas e, o mais importante de todos, pesquisar sobre o que será dito/feito. 

"Tem uma questão também de saber quem é o público alvo e aquilo que se chama de diálogo mental. Estabelecer um canal, um portal, ter contas nas redes sociais, isso também é importante para fazer inclusive a divulgação e também estabelecer um diálogo com o ouvinte", disse. 

"Em relação à linguagem, quando a gente fala de podcast, é importante ter a referência do rádio enquanto história e o estudo das mídias para poder se aprimorar e dominar esse meio, e fazer realmente um trabalho de qualidade", concluiu.

Mais notícias


Publicidade