Aguarde...

divirta-se

Companhia de São Carlos adapta peça de teatro e converte para linguagem das telas

Locomotiva Teatral exibe Pode Entrar na terça-feira (13) e sexta-feira (16), trabalho criado originalmente para espaços públicos

| ACidadeON/São Carlos

Companhia de São Carlos adapta peça de teatro e converte para linguagem das telas. Foto: Divulgação/Locomotiva Teatral
Foi dos espaços públicos para as telas digitais que o grupo Retalho Coletivo de São Carlos (SP) transportou a performance Pode Entrar, que terá exibição gratuita no projeto Locomotiva Teatral nesta terça-feira (13), às 21h, e sexta-feira (16), às 23h.  

O que acontece em Pode Entrar é fruto da relação entre os corpos dos atores, a tela e o espaço que ocupam. A versão adaptada para o ambiente virtual tem exibição de acesso gratuito e ao vivo no Youtube da Teia Casa de Criação.  

Da rua para as telas, o espetáculo criado em espaços públicos com o nome original de "Pode Passar" precisou ser adaptado pelos atores durante o período de isolamento social. O desafio foi transformar o trabalho e reformular para a internet, já que ele foi desenvolvido através de improvisações, contato e interações diretas com transeuntes e a rua.  

A performance nasceu da investigação entre o movimento, o corpo e diálogo com o espaço. As criações, treinamentos e apresentações das cenas aconteceram em praças do Centro, da Vila Prado e Vila Nery em São Carlos. Na versão original, o elenco criava improvisações com dança, teatro, circo e parkour. Os diálogos corporais aconteciam a partir de interferências da arquitetura, reações de pedestres que passavam, objetos, sons e entre os próprios atores.  

O grupo estava com data marcada para iniciar temporada da performance este ano no projeto Locomotiva Teatral, em vários espaços de São Carlos. Mas, em março, a pandemia de Covid-19 mudou o curso da agenda do projeto.  

As atividades precisaram ser interrompidas, já que desde então, eventos e apresentações artísticas ainda não podem acontecer presencialmente para evitar aglomerações, e por isso o Locomotiva Teatral teve que se reinventar para atender às novas regras de isolamento social. Todas as atividades, que retornaram em agosto, foram transformadas em ações virtuais.