Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Política

São Carlos abre consulta pública sobre a implantação de escola cívico-militar

População poderá opinar sobre a adesão da cidade ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares; confira como participar

| ACidadeON/São Carlos

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante cerimônia. Foto: Luís Fortes/MEC

Uma consulta pública foi aberta nesta quarta-feira (6) para saber a opinião da população de São Carlos sobre a implantação de uma escola cívico-militar na cidade.  

Estudantes, pais de alunos da rede pública, professores, assistentes administrativos educacionais e auxiliares de serviços gerais poderão expressar o que pensam através do link: http://www.consultapublica.com.br/index.jsp?id=15. A consulta pública termina em 20 dias. 

Na sessão de terça-feira (5), o vereador Moisés Lazarine (DEM) pediu o apoio da população para que a cidade seja contemplada pelo Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim). "Nosso posicionamento foi justamente buscar que São Carlos tenha mais uma alternativa de educação. Para que a cidade receba uma escola dessa, é preciso que o município tenha a aceitação popular. Não é a minha vontade, a vontade do secretário ou a do prefeito que vai prevalecer, é a vontade popular", afirmou Lazarine. 

Caso a cidade seja escolhida, a EMEB Névio Dias, localizada no Residencial Eduardo Abdelnur, passará a atender estudantes do 6° ao 9° ano no modelo cívico-militar.  "Os alunos vão poder aderir ao modelo de ensino de forma voluntária. No local que vai ser a escola, caso São Carlos seja contemplada, tinha pinos de cocaína, já teve até caso de homicídio dentro daquela unidade. Então a gente sabe a necessidade da região. Estamos falando de um investimento de R$ 1 milhão por ano", explicou o vereador.  

Vereador Moisés Lazarine (DEM). Foto: ACidade ON São Carlos
 

Governo federal lança programa para a implantação de escolas cívico-militares  

O governo federal lançou, no dia 5 de setembro, o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares. Está prevista a implementação de 216 colégios até 2023 - 54 por ano, a começar por 2020.  

É o dobro do anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) no Compromisso Nacional pela Educação Básica, em julho. A cerimônia de lançamento foi realizada no Palácio do Planalto.  

A escola cívico-militar é um modelo desenvolvido para promover a melhoria na qualidade da educação básica do país. Para isso, será construído um ambiente de parcerias e de maior vínculo entre gestores, professores, militares, estudantes e até mesmo pais e responsáveis.  

O modelo de excelência vai abranger as áreas:  

 - didático-pedagógica: com atividades de supervisão escolar e psicopedagogia para melhorar o processo de ensino-aprendizagem preservando as atribuições exclusivas dos docentes;  

- educacional: pretende fortalecer os valores humanos, éticos e morais bem como incentivar a formação integral como cidadão e promover a sensação de pertencimento no ambiente escolar;  

- administrativa: para aprimorar a infraestrutura e a organização da escola para aprimorar a utilização de recursos disponíveis na unidade escolar.  

Apenas nesses dois últimos pontos haverá a participação dos militares.  

O modelo será levado, preferencialmente, para regiões que apresentam situações de vulnerabilidade social e baixos Índices de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), indicador que mede a qualidade das escolas públicas.  

Entre as premissas dos programas estão a contribuição para a melhoria do ambiente dos profissionais de educação e para a redução dos índices de violência, da evasão, da repetência e do abandono escolar.  

Apoio militar - Em parceria com o MEC, o Ministério da Defesa vai destacar militares da reserva das Forças Armadas para trabalhar nas escolas levando mais disciplina e organização. A ideia é que eles sejam contratados por meio de processo seletivo. A duração mínima do serviço é de dois anos, prorrogável por até dez, podendo ser cancelado a qualquer tempo. Os profissionais vão receber 30% da remuneração que recebiam antes de se aposentar.  

Capacitação - Para que militares e comunidade escolar possam se adaptar ao novo modelo, haverá treinamentos. Um plano de trabalho está em construção para ser colocado em prática antes do ano letivo de 2020.

Com informações do Portal MEC.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON