Aguarde...

Política

'Ditadorzinho', diz vereador de São Carlos sobre Doria

Azuaite França (Cidadania) criticou o governador de SP pela proposta de reforma da previdência para os servidores paulistas e pediu reação da categoria

| ACidadeON/São Carlos

Vereador Azuaite faz declarações a respeito do trânsito de São Carlos (Foto: Divulgação/ Câmara)
 

O vereador Azuaite França (Cidadania) criticou o governador João Doria (PSDB) pela reforma da previdência para os servidores paulistas. A proposta apresenta alterações nas regras de aposentadoria e pensão por morte.  

Usando a tribuna da Câmara Municipal de São Carlos, França defendeu o funcionalismo público na sessão de terça-feira (3). "Há um projeto de lei na assembleia legislativa e outro que vai ser mandado para lá. Um que trata da previdência do funcionalismo público, onde o governador quer que, no caso da educação, as mulheres tenham que trabalhar sete anos a mais para se aposentar, e os homens cinco anos a mais. Vejam aqui a discriminação do governador com o funcionalismo público e contra a mulher, especialmente a professora", disse o vereador.  

Professor aposentado, Azuaite também criticou o aumento do desconto da contribuição previdenciária de 11% para 14% e chamou Doria de ditadorzinho. "O funcionalismo público tem que reagir, tem que dizer não, tem que parar o Estado de São Paulo, porque o funcionalismo público e os interesses do Estado de São Paulo são maiores do que o ditadorzinho que apareceu outro dia querendo governar esse estado e o faz desgovernando. Fora Doria, PSDB nunca mais", concluiu Azuaite.

Mudanças  

Quando as novas regras entrarem em vigor, a idade mínima para aposentadoria voluntária será de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens. Já o tempo mínimo de contribuição passa de 35 para 25 anos de recolhimento.  

Com o objetivo de aumentar as receitas e reduzir a insuficiência financeira também está sendo proposta a elevação da alíquota da contribuição previdenciária de 11% para 14%, mudança que entrará em vigor 90 dias após a aprovação do projeto pela Assembleia Legislativa. (Informações do Portal do Governo). 

Mais do ACidade ON