Aguarde...

Política

Deputada critica Leandro Guerreiro por agressões em manifesto

Sâmia Bomfim (PSOL) pediu punição para o vereador de São Carlos e seus seguidores. Leandro Guerreiro disse que são baderneiros e deveriam ter ido em alguma praça

| ACidadeON/São Carlos

Deputada classificou o episódio como inaceitável. Foto: Reprodução/ Twitter
 

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL) criticou o vereador de São Carlos, Leandro Guerreiro (PSB), por impedir ativistas de se manifestarem contra a presença da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, na cidade, no último sábado (18).  

Em sua conta do Twitter, a política publicou um vídeo em que mostra o vereador ameaçando os ativistas. "Os seguidores de Bolsonaro seguem dando demonstrações de sua violência e desrespeito às liberdades democráticas. Ontem, o vereador de São Carlos, Leandro Guerreiro, liderou um grupo de bolsonaristas em uma ação que agrediu ativistas da cidade", afirmou Sâmia Bomfim em sua publicação.  

Em outra publicação, ela pede que Leandro Guerreiro e os seus seguidores sejam punidos. "É preciso seguir ocupando em defesa de todas as formas e de ser e amar e contra o autoritarismo. Não passarão! ", disse.

Nota de repúdio

Através de sua página oficial no Facebook, o PSOL São Carlos publicou uma nota de repúdio após o episódio. Confira:  

"Na manhã de ontem, sábado, dia 18 de janeiro, nas imediações do Paço Municipal, enquanto a Ministra Damares Alves visitava o Prefeito Airton Garcia, um grupo de manifestantes foi covardemente agredido por apoiadores do Governo Bolsonaro, sendo inclusive incentivados por um vereador da cidade. Aos gritos de "não podem se manifestar aqui, não" e "se passar daqui vão levar porrada", o vereador demonstrou ignorar completamente as bases sobre as quais foi construída a Democracia.  

Seus seguidores, autointitulados cristãos, desferiram ofensas raivosas e agrediram fisicamente alguns manifestantes. Foi sob constante intimidação que os manifestantes, em sua maioria LGBTs e incluindo alguns militantes do PSOL São Carlos, resistiram pacificamente em defesa de seu direito à livre manifestação, e contra as declarações LGBTfóbicas e machistas da ministra.  

O PSOL São Carlos repudia veementemente este e outros episódios de violência causada pelo ódio, e principalmente pelo incentivo de políticos como o vereador acima citado, bem como do próprio presidente da república, que de forma recorrente defende a aniquilação física de seus opositores. Repudiamos também a ação da Polícia Militar, que negligenciou a necessidade de intervenção para mitigar as agressões e não prestou assistência às vítimas. Entendemos que é papel do Estado, e não de um grupo de civis organizados, garantir o cumprimento da lei. Qualquer atuação que se aproxime de delegar o poder de polícia a outros cidadãos, é uma prática antidemocrática e de tendência fascista.  

Prestamos total solidariedade aos manifestantes e nos colocamos à disposição para que as medidas legais cabíveis sejam tomadas o mais breve possível. E exigimos um posicionamento oficial da Câmara dos Vereadores de São Carlos sobre participação do parlamentar nesta ação violenta. Continuamos juntos na luta por uma sociedade democrática, onde todos possam se manifestar livremente. "  

PSOL São Carlos publicou uma nota de repúdio. Foto: Reprodução/ Facebook
Outro lado

Procurado pela reportagem, o vereador Leandro Guerreiro chamou os ativistas de baderneiros. "Essa turma de baderneiros tem que começar a respeitar a constituição e principalmente as pessoas. Ninguém tem o direito de ir a um evento já antes marcado e fazer protesto ou manifestação, existem diversas praças no centro da cidade, se quisessem protestar era só escolher alguma dessas praças, não tem que ir no local que já está sendo realizado um evento", disse o vereador.  

Leandro relembrou outro episódio em que tentou impedir o atual senador Major Olímpio (PSL) de atrapalhar a visita de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Carlos, quando ainda era governador. "Major Olímpio veio em 2017 em São Carlos e tentou estragar um evento oficial da prefeitura, não respeitando o inciso XVl do artigo 5º da constituição federal, fui para cima dele e o tratei como um baderneiro e arruaceiro. Eu, Leandro Guerreiro, fico honrado com as críticas. Para mim, é um sinal de que estou no caminho certo. Esse pessoal defende aborto, drogas, Lula Livre, enfim, tudo que não presta. Acharia estranho se eles estivessem me elogiando", concluiu Leandro Guerreiro. 



Entenda o caso  



Manifestantes sem partido foram agredidos por munícipes apoiadores do Governo durante a espera pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves na manhã deste sábado (18). O portal ACidade ON registrou a agressão em vídeo. Confira o vídeo acima  

Diversos moradores aguardavam em frente ao Paço Municipal. Porém, durante a chegada de um casal de manifestantes com placas, cerca de 20 pessoas os encurralaram e agrediram fisicamente e verbalmente.  

'Isso não é democracia'  

Em meio a gritos, xingamentos e empurrões, o vereador Leandro Guerreiro falou sobre democracia e disse que os manifestantes não tinham direito de se manifestar porque estavam atrapalhando um evento marcado, além de também afirmar que eles só queriam "fazer bagunça".  

"Isso aqui não é uma democracia porque eu escolho quem vai andar na rua. Se passar por aqui, vão levar porrada. Esse é o vereador Leandro Guerreiro", gritou aos manifestantes.  

LEIA MAIS: Veja os possíveis candidatos a prefeito de São Carlos

Mais do ACidade ON