Aguarde...

Política

Você sabe quem foram os prefeitos de São Carlos?

A reportagem do ACidade ON viajou pela história para mostrar quem foram as figuras que ajudaram a construir a cidade que conhecemos hoje.

| ACidadeON/São Carlos

Na sala Antonio Massei, na prefeitura, é possível ver a galeria dos prefeitos de São Carlos. Foto: Divulgação/ Prefeitura de São Carlos
 

Manoel Antônio de Mattos, Joaquim Evangelista de Toledo e Alderico Vieira Perdigão, o que esses nomes têm em comum? Para os mais jovens, a primeira referência pode ser em relação as ruas da cidade, já os mais velhos e conhecedores da história local sabem que esses três nomes são de ex-prefeitos de São Carlos.  

Com a proximidade da eleição municipal que vai definir quem será o próximo prefeito da cidade pelos próximos quatro anos, a reportagem do ACidade ON São Carlos viajou pela história para relembrar quem administrou a cidade ao longo de 162 anos.  

Administração Municipal antes da República  

Fundada no dia 4 de novembro de 1857, São Carlos já teve 35 prefeitos*. No entanto, a administração municipal antes da Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889, era bem diferente de hoje.  

De acordo com arquivos da Fundação Pró-Memória de São Carlos, o presidente da Câmara Municipal que ficava responsável pelo Poder Executivo, já que ainda não existia a figura do prefeito. "Elas [vilas que tinham uma determinada quantidade de população] tinham a possibilidade de nomear uma Câmara Municipal, que era responsável pela administração da cidade, ela cuidava de todos os setores da administração", explicou Leila Massarão, historiadora e chefe da Divisão de Pesquisa e Divulgação da Fundação Pró-Memória de São Carlos.  

Na época, diferente de hoje, o governo da cidade ficava restrito a elite local. "Tanto na colônia como no império, você ainda está falando que os votantes são os chamados homens bons, as pessoas da elite local, da política local. Eles eram os eleitores e os eleitos, então você não tem uma participação como hoje, onde há uma possibilidade maior de ter candidatos de todos os níveis sociais", disse a historiadora.  

*A contagem foi realizada a partir de 1908, momento em que aparece a primeira indicação da escolha de Prefeito Municipal na cidade. 

Presidentes da Câmara Municipal 1865 a 1890  

- Major Joaquim Roberto Rodrigues Freire| 15/09/1865 a 06/09/1869
- Tenente Joaquim de Meira Botelho| 08/01/1869 a 31/03/1874
- José Elias de Quadros Pacheco| 01/04/1874 a 07/01/1877
- Luiz Carlos de Arruda Mendes| 08/01/1877 a 06/01/1881
- Rodolfo Gastão de Sá| 07/01/1881 a 06/01/1887
- Joaquim de Arruda Campos| 07/01/1887 a 06/01/1888
- Major Joaquim Roberto Rodrigues Freire| 07/01/1888 a 06/01/1889
- Vicente Cabral**| 07/01/1889 a 06/01/1890
* A Assembléia Provincial de São Paulo elevou São Carlos a condição de vila em 18 de março de 1865, tendo sido empossada a primeira Câmara em 14 de setembro daquele ano.
** Da proclamação da República até a posse do Conselho de Intendência, em 18 de janeiro de 1890, o governo local permaneceu dirigido por Vicente Cabral.   

O Conselho de Intendências e as Intendências municipais (1890-1908)

Após a Proclamação da República, as administrações municipais foram desarticuladas e suas câmaras dissolvidas.  

Em 1890, conselhos de intendência foram instituídos com o objetivo de gerir os municípios até que fosse regulamentado como seria a organização dos municípios e a legislação para as novas eleições.  

Em São Carlos, o Governo Provisório de Prudente de Moraes nomeou o primeiro Conselho de Intendência em 18 de setembro de 1890, presidido por Gastão de Sá. "A mudança de regime não trouxe, porém, alterações ao sistema de dominação adotado pela administração local, revezando-se no poder aliados de duas correntes: os ligados à família Arruda Botelho, encabeçada naquele momento por Paulino Carlos de Arruda Botelho, e políticos ligados à família Sales, cujo importante representante foi o Major José Inácio de Camargo", consta no arquivo da fundação.  

A primeira lei eleitoral para São Paulo é de 27 de novembro de 1891, regulamentada pelo Decreto n°20 de 06 de fevereiro de 1892, e guiou os processos eleitorais do interior paulista.  

A organização dos municípios foi efetivada pela Lei n°16 de 13 de novembro de 1891 e estabeleceu o poder municipal dividido em duas esferas: o legislativo conduzido pela câmara e o executivo liderado pelo intendente, que era escolhido entre e pelos vereadores.  

Em São Carlos, no dia 30 de setembro de 1892, tomou posse a primeira Câmara eleita do período republicano, sendo nomeado para presidente Joaquim José Gonçalves Braga e Eugênio Egas para intendente. "As duas correntes que se alternavam no poder em São Carlos receberam a alcunha de faustinos e bicheiros. Faustinos eram os representantes dos botelhistas. O nome alude a Faustino, um policial reconhecido por gostar de "esquentar o tempo", mas que era uma pessoa de pouco fôlego e, à ameaça da mais ligeira reação, retirava-se pisando veloz; enfim, era considerada pessoa de muito papo e pouco tutano. Bicheiros eram os representantes dos salistas, pois se dizia na época que agregavam pessoas de pouco prestígio social", consta nos registros históricos. 

Os botelhistas dominaram o cenário político local nos primeiros anos da República, porém, a partir da eleição de Campos Sales ao governo do Estado, em 1896, e depois como presidente da República, a partir de 1898, os salistas conquistaram espaço e ficaram no poder até o começo do século XX.  

"Essas correntes políticas continuam se manifestando até depois desse período do começo do século XX. As vezes você nem tinha mais Arruda Botelho de nome atuando, mas essa corrente ainda estava aqui", explicou Massarão.  

Os primeiros prefeitos de São Carlos  

"Nas Atas das Sessões Extraordinárias da Câmara de São Carlos, no documento de 07 de janeiro de 1908, aparece a primeira indicação da escolha de Prefeito Municipal para a cidade. Nele é relatada a escolha de Manoel Antonio de Mattos como Prefeito Interino até a posse da nova Câmara Municipal, que aconteceria em 15 de janeiro. "

Com uma atuação parecida com a que era realizada pelos intendentes, os prefeitos de São Carlos no período de 1908 a 1930 também eram escolhidos entre os vereadores eleitos, ou seja, sem participação popular. O período em que permaneciam no cargo era de apenas um ano, podendo ser reconduzido outras vezes à função. 

Prefeitos de São Carlos - 1908 a 1930

- Rodolfo Gastão de Sá Nomes| Períodos 15/01/1908 a 14/01/1912
- José Rodrigues Sampaio| Período: 15/01/1912 a 14/01/1914
- Delfino Martins de Camargo Penteado| 15/01/1914 a 14/01/1917
- Elias Augusto de Camargo Sales| 15/01/1917 a 14/01/1920
- Eugênio Franco de Camargo| 15/01/1920 a 14/01/1922
- Elias Augusto de Camargo Sales| 15/01/1922 a 14/01/1923
- José Fonseca Teixeira de Barros| 15/01/1923 a 14/01/1925
- Joaquim Evangelista de Toledo| 15/01/1925 a 14/01/1928
- Alencar da Cruz Leite*| 16/01/1928 a 03/02/1928
- Paulino Botelho de Abreu Sampaio**| 04/02/1928 a 27/10/1930
* Eleição anulada por irregularidades na sessão que o elegeu, decisão tomada pela Câmara em 04 de fevereiro daquele ano.
** Com a Revolução de 1930, cedeu a administração da cidade a uma Junta Governativa.


A Era Vargas  

Por conta da Revolução de 1930, os governos municipais foram transferidos para Juntas Governativas nomeadas pelo governo provisório do Estado. Em São Carlos, a Junta Governativa foi chefiada por Ananias Evangelista de Toledo, entre 27 de outubro até 06 de dezembro de 1930, quando foi dissolvida a Junta e o próprio Evangelista de Toledo assumiu o cargo de Prefeito Municipal.   

Ex-presidente Getúlio Vargas. Foto: FGV/CPDOC
 

Entre 1930 e 1938, os chamados "prefeitos-interventores" que dirigiram São Carlos. Por conta da instabilidade política no período, em que também houve a Revolução Constitucionalista de 1932, por exemplo, os mandatos eram por breves períodos. "Trinta foi uma revolução não só política, mas também houve uma movimentação no país de maneira muito acentuada. Getúlio assume o governo provisório em 1930 e ele vai atuar em todos os segmentos do poder. Ele nomeava governador, que nomeava os prefeitos. Então, esse é momento que se discutia ser necessário fazer uma nova constituição para legislar sobre esse novo país. Então não era viável fazer uma eleição para prefeito, por exemplo. Então ficavam essas nomeações constantes, periódicas, muito de acordo com o cenário político que se apresentava", explicou a historiadora da Pró-Memória. 

Prefeitos nomeados por Interventores Federais 1930 a 1938  

- Ananias Evangelista de Toledo| 06/12/1930 a 12/04/1932
- Antônio Militão de Lima| 13/04/1931 a 15/11/1932
- José Maria de Souza| 16/11/1932 a 30/04/1933
- Carlos Simplício Rodrigues da Cunha| 01/03/1933 a 16/08/1933
- Durval Accioli| 17/08/1933 a 09/03/1934
- Samuel Valentie de Oliveira| 10/03/1934 a 09/04/1935
- Sizenando de Toledo Porto| 10/04/1935 a 27/07/1935
- Ananias Evangelista de Toledo| 28/07/1935 a 12/02/1936
- João Sabino| 05/03/1936 a 23/07/1937
- Elias Augusto de Camargo Sales| 27/07/1937 a 22/10/1937
- José Fonseca Teixeira de Barros| 23/10/1937 a 18/05/1938  


Estado Novo, Ditadura Militar e Redemocratização  

A partir da outorga da Constituição de 1937, durante o período ditatorial denominado "Estado Novo", a escolha dos prefeitos em São Carlos foi feita por um interventor federal. Carlos de Camargo Sales e Sabino de Abreu Camargo cumpriram exercícios de três e quatro anos, respectivamente.  

Após a deposição de Getúlio Vargas, uma nova constituição foi promulgada em 1946. Essa nova carta magna estabeleceu diretrizes para que estados e municípios criassem suas câmaras e modelos legais para a escolha de prefeitos.   

Em São Carlos, Sabino de Abreu Camargo foi mantido pelo Governo do Estado de 1945 a 1947. Ele pediu exoneração em janeiro de 1947 e foi substituído por João Neves Carneiro, Secretário da Câmara Municipal.  

Em meados de 1947, o governador eleito Ademar de Barros nomeou Luiz Botelho de Abreu Sampaio como Prefeito Municipal, tendo ele ocupado o cargo durante a realização do pleito local e transmitido o poder para o novo prefeito Luís Augusto de Oliveira, agora, eleito diretamente.    

Prefeitos do Estado Novo e Governo de Transição Democrática  

- Carlos de Camargo Sales| 21/05/1938 a 24/07/1941
- Sabino de Abreu Camargo| 20/08/1941 a 10/01/1947
- Luiz Botelho de Abreu Sampaio *| 01/07/1947 a 31/12/1947
* Nomeado pelo governador eleito Adhemar de Barros.

 

Luís Augusto de Oliveira foi prefeito de São Carlos por duas oportunidades. Foto: Arquivo Público e Histórico da Fundação Pró-Memória de São Carlos (Acervo APH-FPMSC)

O período democrático, entretanto, foi novamente interrompido com o golpe militar em 1964. Ainda segundo Leila Massarão, apesar de as eleições para prefeito terem sido mantidas, o mandatário precisava ser 'bem visto' pelos militares. "Havia eleição. Você tem um prefeito que entra nesse momento, que foi eleito, ele consegue fazer o seu exercício todo. [Em seguida], você tem a eleição do Bento Carlos do Amaral, ele fica um ou dois anos e é cassado pelo Governo Militar, por desentendimentos políticos, e é nomeado um interventor. Então é uma pessoa nomeada pelo Governo Militar para a cidade de São Carlos. Esse interventor fica de 1970 a 1973 e depois você volta a ter processos eletivos de novo, com prefeitos eleitos. "

"Obviamente que algumas dessas figuras que são eleitas nesse momento, de alguma forma, estão nas graças dos governos militares. Se eles intervieram no caso do Bento Carlos, talvez eles fizessem isso para outros que se opusessem a eles", concluiu Leila.   

Ex-prefeito José Bento Carlos Amaral teve o mandato cassado pelos militares. Foto: Arquivo Público e Histórico da Fundação Pró-Memória de São Carlos (Acervo APH-FPMSC)
 

A Ditadura Militar no Brasil terminou em 1985, de lá para cá tivemos sete prefeitos. Por conta da proximidade das eleições, não vamos falar sobre os últimos 30 anos da história política de São Carlos. Confira abaixo a lista de prefeitos da cidade de 1947 a 2020 e a galeria de fotos com a biografia de alguns desses personagens de São Carlos. 

Prefeitos Municipais 1947 a 2020 

- Luís Augusto de Oliveira| 01/01/1948 a 20/02/1951
- Leôncio Zambel *| 20/02/1951 a 31/12/1951
- Antônio Massei| 01/01/1952 a 01/01/1956
- Luís Augusto de Oliveira| 01/01/1956 a 01/07/1956
- Alderico Vieira Perdigão **| 07/07/1956 a 3/12/1959
- Antônio Adolpho Lobbe| 01/01/1960 a 31/12/1963
- Antônio Massei| 01/01/1964 a 31/01/1969
- José Bento Carlos Amaral| 01/02/1969 a 23/04/1970
- Antônio Teixeira Viana ***| 28/04/1970 a 30/04/1973
- Mário Maffei| 31/01/1973 a 31/01/1977
- Antônio Massei| 01/02/1977 a 28/01/1983(****)
- João Otavio Dagnone de Melo| ***** 01/03/1983 a 31/12/1988
- Neurivaldo José de Guzzi| 01/01/1989 a 31/12/1992
- Rubens Massucio Rubinho| 01/01/1993 a 31/12/1996
- João Otavio Dagnone de Melo| 01/01/1997 a 31/12/2000
- Newton Lima Neto| 01/01/2001 a 31/12/2004
- Newton Lima Neto| 01/01/2005 a 31/12/2008
- Oswaldo Baptista Duarte Filho| 01/01/2009 a 31/12/2012
- Paulo Roberto Altomani| 01/01/2013 a 31/12/2016
- Airton Garcia Ferreira ******| 01/01/2017 a 31/12/2020
* Eleito pela Câmara Municipal, uma vez que, neste período, não existia a figura de vice-prefeito, retomada apenas com a Lei n° 1.174 de 21 de agosto de 1951 que mudava o texto da Lei n°1 de 18 de setembro de 1947.
** Vice-Prefeito eleito, assumiu a Prefeitura após a morte de Luís Augusto de Oliveira em 14 de julho de 1956.
*** Interventor Federal nomeado pelo Presidente da República durante o Regime Militar.
**** Mandato prorrogado de 31/01/1981 a 31/01/1983 pela Emenda Constitucional nº14" de 09/01/1980.
***** Mandato prorrogado de 31/10/1987 a 31/01/1988.
****** Prefeito atualmente.  





Mais do ACidade ON