Aguarde...

Política

Vereador critica 'aplausos' de moradores para destruição de radares

"Isso que se comete nas redes sociais é barbárie", afirmou Azuaite Martins de França (Cidadania), que pediu mais educação no trânsito.

| ACidadeON/São Carlos

Azuaite Martins de França (Cidadania). Foto: Arquivo/ ACidade ON São Carlos 
 

O vereador Azuaite Martins de França (Cidadania) criticou, durante a sessão de terça-feira (20), os atos de vandalismo contra dois radares móveis em São Carlos.  

O primeiro caso ocorreu na semana passada, quando um motorista passou por cima de um radar na Rua Miguel Petroni e fugiu.  

Além disso, na segunda-feira (19), um motociclista furtou a caixa e o tripé de outro aparelho de fiscalização que estava na Rua Lourenço Innocentini e jogou o restante do equipamento em uma mata.    

Motorista destrói radar móvel na Miguel Petroni em São Carlos. Foto: CBN São Carlos

"Chama a minha atenção o fato desse comportamento de dar tiro em radar, de passar por cima do radar com o automóvel, ser aplaudido nas redes sociais. Isso revela um traço cultural interessante, cruelmente interessante nesse país, que já foi definido pelo antropólogo Claude Lévi-Strauss, que diz: O Brasil vai sair da barbárie para a decadência sem conhecer a civilização. Talvez ainda não tenhamos chegado na decadência, porque isso que se comete nas redes sociais é barbárie", criticou Azuaite.  

Em seguida, o parlamentar citou dados divulgados pela imprensa de que foram aplicadas mais de 59 mil multas na cidade no ano de 2019, o que gerou uma arrecadação de R$ 8 milhões. Portanto, em média, foram aplicadas cinco mil multas por mês em São Carlos. "Alguns dizem que existe uma indústria da multa em São Carlos. Eu prefiro dizer o seguinte: que se o número de multas aumentou na cidade de São Carlos, e o valor arrecadado pelas multas também aumentou, o que é que foi que diminuiu? Por um lado, o dinheiro no bolso do contribuinte infrator, e, por outro lado, diminuiu a chamada educação para o trânsito. Porque o justo é fazer com que o dinheiro arrecadado a partir das infrações de trânsito seja aplicado em educação para o trânsito", disse.  

O vereador também afirmou que existe, por cultura dos motoristas, e também em virtude da topografia do município, um excesso de velocidade dos veículos. "É só ficar aqui na esquina para ver o que acontece", salientou.  

O parlamentar disse ainda que existe o hábito de se ultrapassar o sinal vermelho e que muitos motoristas também não respeitam a faixa de pedestre. "Isso não é punido e coloca em risco a vida do pedestre, do transeunte".


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON