Publicidade

politica

Ativista são-carlense Sara Winter diz que recebeu orientação de general para atacar o STF

General Augusto Heleno classificou como "calúnias e acusações falsas" as falas; ativista apontou nomes do bolsonarismo que estiveram ligados a movimento "300"

| ACidadeON/São Carlos -

Sara Winter. Foto: Redes sociais
A ativista são-carlense Sara Winter voltou ao noticiário nacional ao acusar membro do governo Bolsonaro de tê-la orientado a atacar o Supremo Tribunal Federal (STF) durante o acampamento do movimento "300 do Brasil", que ocupou área em Brasília no ano passado.

Em entrevista à revista "Época", a ativista afirmou que durante a manifestação recebera orientações do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno. Ela teria sido chamada ao Palácio do Planalto para receber a ordem.

"Ele [Augusto Heleno] pediu para deixar de bater na imprensa e no Maia [Rodrigo Maia, então presidente da Câmara] e redirecionar todos os esforços contra o STF", afirmou à publicação.

No Twitter, o general negou e afirmou serem "calúnias e acusações falsas" as falas da ativista.

Em edição do último fim de semana da revista, a são-carlense afirma ainda que outras figuras relacionadas ao bolsonarismo tiveram papel relevante na organização do acampamento a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Entre eles estão os deputados Carla Zambelli (PSL/SP), Daniel Silveira (PTB/RJ), Sargento Fahur (PSL/PR) e Bia Kicis (PSL/DF).

Mais notícias


Publicidade