Rodson Magno: comemoração por projetos e cobranças à Prefeitura Rodson Magno: comemoração por projetos e cobranças à Prefeitura

Rodson Magno: comemoração por projetos e cobranças à Prefeitura

Vereador destaca novo Camelódromo entregue neste ano, após quatro anos 'batendo na tecla'; política habitacional é alvo de tucano

Vereador Rodson Magno durante sessão na Câmara. (Foto: Divulgação)
Único representante do PSDB na Câmara, Rodson Magno do Carmo fez um balanço do primeiro semestre de 2022 e colocou como ponto alto de sua legislatura a conquista do novo Shopping Popular de São Carlos, conhecido como 'Camelódromo'.  

Há pelo menos quatro anos o parlamentar disse ter trabalhado no assunto, buscando soluções junto à administração municipal.  

Rodson Magno do Carmo participou da série de entrevistas que busca, junto aos vereadores de São Carlos, traçar as principais ações do Legislativo na primeira metade deste ano. 
 
 
LEIA MAIS 
Pozzi faz apelo para que Airton receba a notificação da Processante

Vereador pede que Ministério da Ciência defenda empregos em São Carlos 


'Nós pedimos há quatro anos um novo Camelódromo e agora virou realidade. Estamos trabalhando no segundo no Cidade Aracy para que mais pessoas possam ser beneficiadas', afirmou.  

Rodson ainda mencionou um projeto que vem sendo conduzido que é o Geladeira do Saber. Diferentes pontos de São Carlos receberam geladeiras com livros, em que transeuntes ou usuários de serviços públicos podem pegar ou trocar títulos.  

Na parte da saúde pública, o parlamentar tucano ressaltou sua luta para a melhoria do Cemitério Nossa Senhora do Carmo e pela abertura de novo campo-santo na cidade.  

'Daqui a pouco vai entrar em colapso e é um trabalho que venho desenvolvendo há muito tempo para pedir que se faça algo a respeito disso', comenta.  

O parlamentar afirmou que trabalha para garantir a redução do déficit habitacional de São Carlos, que gira em torno de 17% a 22%. Para diminuir o problema que afeta parte considerável da população, Rodson investe tempo em estimular a criação de grupos cooperados para a compra coletiva de terrenos e materiais de construção e estabelecimento de loteamentos comunitários.  

'É um projeto em que as áreas constitucionais podem ser usadas para se fazer casa própria. É uma parceria público privada entre a sociedade e a Prefeitura', relata.  

Por meio do cooperativismo, o preço do lote sai mais barato, assim como os custos com insumos da construção. A ação é válida sobretudo no cenário de elevação de preços dos materiais.  

Para quem já tem casa, mas mora em situação insalubre, o vereador expõe que 232 no Jardim Gonzaga serão reformadas pelo programa Viver Melhor, do governo do Estado. São Paulo ainda garante a regularização fundiária, dando garantia legal para os moradores.  

'Quem escolhe os participantes é o CDHU, que faz esse trabalho de assistente social e vê as casas com maior vulnerabilidade', comenta.  

Sobre as ações da Prefeitura relacionadas à habitação, o parlamentar disse respeitar os feitos de Airton Garcia (UB) quando do loteamento do Cidade Aracy, mas que quando eleito, 'não fez sequer uma casa sequer'.  

'O que tivemos foram 978 casas que a presidenta Dilma (PT) veio entregar. Depois disso, não tivemos mais casas populares na nossa cidade e o governo federal, infelizmente, cortou 95% do Casa Verde Amarela', completa. 
 
 
VEJA TAMBÉM 
Brasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maio

Bruno Moraes

Bruno Moraes é repórter do acidade on desde 2020, onde faz a cobertura política e econômica. É autor do livro “Jornalismo em Tempos de Ditadura”, pela Paco Editorial, é colunista do Giro CBN no 'Café com Política', para CBNs São Carlos e Araraquara. + info

Mais Notícias

Mais Notícias