Aguarde...

Esse ano votaremos nos

Eleições

Após 20 anos como vereadora, Laíde da UIPA não se reelege em São Carlos

Defensora da causa animal, ela espera que a população continue e cobrar proteção para os animais e pediu ética aos vereadores eleitos.

| ACidadeON/São Carlos

Laíde das Graças Simões não será mais vereadora a partir de 2021. Foto: ACidade ON São Carlos

Vereadora de São Carlos por cinco mandatos consecutivos, a defensora da causa animal Laíde das Graças Simões, a Laíde da UIPA, não conseguiu a reeleição nas eleições de 2020. Ela foi a terceira candidata mais votada do PSDB com 1.121 votos, mas acabou não sendo o suficiente.  

Laíde acredita que o alto número de abstenções (29,89%) e a divisão de votos prejudicou suas chances de continuar na Câmara Municipal. "Muita gente não votou, não pôde ir até a escola votar, teve muita gente que foi e não aguentou esperar a fila, e também, por outros motivos, teve muita evasão de eleitor", disse.  

"Também eu tenho que contar que houve muitos candidatos pela causa animal e dividiu os votos. Então, a parte de votos que eu recebo na atuação animal foi prejudicada", complementou.  

Aos 68 anos, a parlamentar disse que vai continuar trabalhando pela causa animal, o que faz há 35 anos. "A partir de janeiro, eu vou fazer meu trabalho voluntário, como sempre fiz, nunca parei. Vou ter mais tempo para me dedicar lá. Saio com a minha consciência tranquila, de cabeça erguida. "  

"Quando eu cheguei aqui, ninguém sabia nem que cachorro latia, ninguém se preocupava com isso. Me olhavam como se eu fosse um bicho também, acharam estranho eu estar aqui no meio de tanto vereador. Eu fui conquistando meu espaço e dei a voz a uma questão que hoje é muito importante e mudou demais. A valorização do animal, a questão de você cuidar melhor do animal, de você denunciar maus-tratos, tudo isso foi ampliado graças ao meu mandato aqui em São Carlos", complementou. 

Questionada se a defesa dos animais na cidade será prejudicada com sua saída, Laíde disse contar com a ética dos vereadores eleitos. "Eu só conto com a ética de alguns para que mantenham nossa legislação, que é vigente, é eficiente e proporciona um trabalho muito bom por parte do Executivo. Então é o que eu espero, porque o trabalho de carregar o piano, de fazer o trabalho que eu faço, eu sei que eu vou continuar fazendo e não sei se eles farão", disse.  

"Eu acredito que a continuidade vai ser cobrada pela própria população", concluiu a vereadora.   

Leia mais:  

São Carlos terá três mulheres entre 21 vereadores na Câmara Municipal 

Veja a lista dos 21 vereadores eleitos em São Carlos

História na política  

Laíde das Graças Simões nasceu em São Paulo, em 1952. Em 1971, mudou-se para São Carlos, onde se estabeleceu.  

Aqui obteve a licenciatura em Estudos Sociais, trabalhou como secretária do Departamento de Compras na CBT por 10 anos e, em 1989, associou-se à União Internacional Protetora dos Animais (UIPA).  

Nas eleições municipais de 1996, Laíde candidatou-se pela primeira vez ao cargo de vereadora, mas não conseguiu se eleger.  

Em 2000, pelo PTB, foi eleita e se tornou a primeira vereadora eleita no Estado de São Paulo defendendo a "proposta genuinamente voltada à proteção animal", segundo consta em sua biografia.  

Durante os 20 anos de atuação no Legislativo São-carlense, Laíde conseguiu a aprovação de leis que fundamentaram políticas públicas em sua área de atuação, o que levou São Carlos a receber o título de "Cidade Amiga dos Animais".  

Além disso, também teve participação decisiva na aprovação do código Municipal de Proteção aos Animais e o Conselho Municipal de Defesa dos Animais. 

Mais do ACidade ON