Aguarde...

ACidadeON São Carlos

SÃO CARLOS
mín. 20ºC máx. 36ºC

Vida e Estilo

Sobrecarga de cuidadores de idosos é tema de pesquisa na UFSCar

Estudo é realizado na pós-graduação em Gerontologia e convida voluntários para avaliações gratuitas

| ACidadeON/São Carlos

.
 
Uma pesquisa de mestrado realizada no Programa de Pós-Graduação em Gerontologia (PPGGero) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está recrutando voluntários para estudo que vai analisar a relação entre empatia, atitude implícita e sobrecarga de cuidadores de idosos, formais ou informais. A pesquisa é realizada pelo mestrando Madson Maximiano e pela graduanda Amanda Moura, sob orientação de Marcos Hortes Nisihara Chagas, docente do Departamento de Gerontologia (DGero) da Instituição.  

A empatia está relacionada com a capacidade de se colocar no lugar do outro e de compreender suas emoções. A atitude implícita ocorre de forma automática, sem auxílio do consciente, e está relacionada a situações embasadas na crença do sujeito. O estudo pretende relacionar esses dois fatores à sobrecarga, física e psicológica, que os cuidadores de idosos enfrentam.  

O pesquisador lembra que o número de idosos tem aumentado consideravelmente, concomitantemente à ocorrência de patologias que levam esse público à dependência de um cuidador - formal, quando é um profissional que realiza o trabalho, e informal, quando o cuidador é, normalmente, um familiar. "O cuidador tem um papel importante no que concerne à qualidade de vida dos idosos. No entanto, a prática diária de cuidar lhe proporciona consequências como a sobrecarga, por exemplo, que é tão presente entre os cuidadores e causa prejuízos físicos e psicológicos", aponta Maximiano.  

Segundo o mestrando, a pesquisa é pioneira ao analisar a relação entre essa sobrecarga dos cuidadores com fatores como empatia e atitude implícita. "Os estudos realizados mostram que a sobrecarga de cuidadores formais e informais está relacionada à patologia e à dependência do idoso, mas a relação entre sobrecarga, empatia e atitude implícita ainda não foi estudada nesse público", destaca. Maximiano defende a importância do estudo desses aspectos, visto que a "empatia possibilita uma melhor relação social, e acredita-se que sua ausência pode trazer prejuízo para os indivíduos, como, no caso do cuidador, a sobrecarga". No que se refere a atitudes implícitas, ele esclarece que a preferência por um tipo de público, jovens ou idosos, pode determinar a sobrecarga de um cuidador. "Por exemplo: se eu trabalho com um público que não é do meu interesse e trabalho pela simples necessidade (cuidador formal), ou de forma obrigatória (cuidador informal), isso pode me acarretar grande sobrecarga. Por esses motivos, a análise dessas variáveis no contexto do cuidador é crucial", considera o pesquisador.  

A expectativa do estudo é comprovar as relações analisadas e incluir esses novos aspectos na díade cuidador-idoso. "A partir dos nossos resultados, acreditamos que novas ações podem ser implementadas na atenção aos cuidadores. Orientações preventivas, atividades de caráter vivencial com o intuito de promover relações empáticas entre os cuidadores e idosos, oficinas, rodas de conversa, dentre outras iniciativas, podem auxiliar na minimização da sobrecarga entre os cuidadores", afirma Maximiano.  

Para desenvolver a pesquisa estão sendo convidados cuidadores, homens ou mulheres, maiores de 18 anos. Podem ser cuidadores formais, que tenham curso de cuidador, ou informais, que sejam familiares do cuidado. Os participantes devem estar cuidando de um idoso há, pelo menos, três meses, e por quatro horas diárias, no mínimo. Os voluntários participarão de testes realizados em computador e responderão a questionários.  

Os interessados devem entrar em contato com os pesquisadores pelos telefones (16) 99244-7169 e (82) 9920-8149 (ligações ou WhatsApp) ou pelos e-mails mouramands@gmail.com e mmaximianopsi@gmail.com.

Mais do ACidade ON