Publicidade

viagens

O que fazer quando cancelam ou quando preciso cancelar uma viagem?

Nada pior em uma viagem do que o cancelamento de um voo, da hospedagem ou de um passeio

| ACidade ON -

Nada pior em uma viagem do que o cancelamento de um voo, da hospedagem ou de um passeio. (Foto: Divulgação)

Nada pior em uma viagem do que o cancelamento de um voo, da hospedagem ou de um passeio. Pior ainda é viajar com medo de que algo errado aconteça, ainda mais em um momento em que o cenário no Brasil é de companhia aérea em crise e o mundo vê o crescimento de uma nova variante do Covid-19.

E quando é o viajante que precisa cancelar? Multas abusivas, prazos de reembolso muito alargados e horas à espera de atendimento são algumas das dores de cabeça que quem precisa desmarcar ou remarcar uma viagem enfrenta. 
 
GOSTA DE VIAJAR? CONFIRA AQUI DESTINOS IMPERDÍVEIS COM ÓTIMOS PREÇOS

Apesar de cancelamentos serem um risco inerente a qualquer viagem, o consumidor precisa munir-se de cuidados antes de bater o martelo na hora efetuar a compra de produtos e serviços que envolvem uma viagem.

De acordo com Guilherme Bittencourt Martins, coordenador e professor do curso de Direito da Anhanguera, o consumidor deve se precaver para ter respaldo e possibilidades de cancelamento ao contratar uma viagem "Tudo irá depender do contrato assinado, é essencial analisar o documento e as disposições das cláusulas contratuais, como será aplicado a multa, caso haja desistência do pacote. O consumidor deve se planejar adequadamente para não ter imprevistos e prejuízos. Além de verificar a reputação da agência de turismo, pesquisar bastante sobre a reputação da agência, conferir suas avaliações e ficar bem atento quanto à compra de pacotes turísticos online".

Sobre as leis e recursos que podem auxiliar o consumidor quando precisar cancelar uma viagem por imprevistos de saúde, financeiro, trabalho ou pessoal, o especialista destaca: "O código de defesa do consumidor poderá proteger o consumidor pelos abusos contratuais, ou seja, quando a multa for excessiva. Geralmente a multa contratual, é de 10% a 30% sob o valor do contrato, mais algumas taxas, independente do motivo. Em algumas situações a lei prevê, a possibilidade de reembolso e cancelamento do pacote de viagens sem pagamento de multas e taxas, isso ocorre nas compras de pacotes on-line, em que o consumidor tem 7 dias para desistir da compra, após o efetivo pagamento. Após esse prazo, é devido a cobrança de multas e taxas contratuais".

Cuidados para reduzir transtornos durante as viagens ou ao tentar cancelar:

- Busque Informações sobre a agência contratada: o Ministério do Turismo possui o site Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos), no qual é disponibilizada uma lista de empresas inscritas e licenciadas;

- Avalie as reclamações da agência ou denúncias junto ao Procon;

- Leia o contrato com atenção: confira todo o documento - as regras de cancelamento de viagem ou remarcação, as respectivas taxas - antes de assinar o contrato;

- Não pague tudo com antecedência: normalmente, é solicitado um sinal ou entrada, portanto, não pague todo o valor de uma vez só.

Mais notícias


Publicidade