Aguarde...

Viu Essa?

Paula Thomaz, condenada por assassinato, presta queixa contra Gloria Perez

Segundo jornal carioca, Paula Thomaz, condenada pelo assassinato de Daniella Perez, filha da autora de novelas Gloria Perez, prestou queixa-crime contra a autora

| ACidade ON

Paula Thomaz foi condenada e cumpriu pena pelo assassinato de Daniella Perez (Foto: Reprodução)
Paula Thomaz, condenada pelo assassinato de Daniella Perez, filha da autora de novelas Gloria Perez, abriu uma queixa-crime contra a autora. Segundo um jornal carioca, o caso é referente a comentários que Gloria e seguidores dela fizeram em uma rede social. "Manda matar a filha dela", teria comentado um dos seguidores. 

Paula Thomaz e Guilherme de Pádua foram sentenciados em 1997 a 16 e 19 anos de regime fechado, respectivamente, pela morte de Daniella Perez, assassinada em 1992. Ela deixou o regime fechado em 1999, após cumprir um terço da pena. Hoje, ela assina o nome como Paula Peixoto, após se casar com o advogado Sérgio Peixoto.

De acordo com o jornal O Dia, Paula abriu um boletim de ocorrência por comentários que a autora Gloria Perez fez no Facebook. Segundo a queixa, a autora respondeu seguidores que questionaram o fato de Paula investir na carreira artística da filha mais nova. O boletim foi registrado na Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima, no Rio de Janeiro.

Gloria respondeu a um seguidor dizendo que "essa criminosa não tem limites". A autora continua: "Não preservou o filho que tinha na barriga quando se fez assassina e não preserva a filha de um meio [artístico] onde terá sempre como referência ser filha de uma assassina", escreveu Gloria no comentário. 

No depoimento, Paula e Sérgio citam ameaças que receberam de seguidores da autora. Em um destes comentários, um seguidor diz "Vai Gloria, agora manda matar a filha dela", enquanto outro afirma "É bom ela colocar a filha sim, quem sabe acontece o mesmo e alguém tira a vida da filha dela da mesma forma. Aqui se faz, aqui se paga".

Ainda segundo O Dia, Gloria já foi intimada a depor, mas um advogado foi enviado no lugar da autora para inteirar a denúncia. O inquérito segue em fase de diligências e seguidores podem ser intimados. 

O CASO 

Paula Thomaz e Guilherme de Pádua foram sentenciados em 1997 a 16 e 19 anos de regime fechado, respectivamente, pela morte de Daniella Perez, assassinada em 1992. Ela deixou o regime fechado em 1999, após cumprir um terço da pena. 

Paula se formou em direito, se casou com um advogado e atualmente assina como Paula Nogueira Peixoto. Pádua foi condenado a 19 anos de prisão e também cumpriu um terço da pena.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON