Publicidade

viu essa?

Thaila Ayala, grávida de seis meses, diz que sente reflexo dos abortos que sofreu

Um aborto foi espontâneo e o outro foi de uma gravidez ectópica

| Estadao Conteudo -

 

Thaila Ayala fala sobre gravidez (Foto: Reprodução/Instagram)

Thaila Ayala abriu espaço para responder às perguntas dos seus seguidores neste domingo (10), pelo stories do Instagram. Grávida de seis meses e meio, a atriz contou sobre os dois abortos que sofre antes da gestação de Francisco.

Um aborto foi espontâneo e o outro foi de uma gravidez ectópica, quando o embrião se forma fora do útero. No caso de Thaila, ela precisou fazer uma cirurgia e quase perdeu as duas trompas, o que a impedia de gestar novamente.

"Descobri que estava grávida com duas semanas e perdi com dois meses e pouco. Eu entrei em cirurgia sabendo que talvez eu tivesse que arrancar as duas trompas. Foi bem assustador. Durante a cirurgia, tiraram uma e testaram a outra, que estava funcionando, não precisei tirar. Fora isso, não fiz mais nenhum exame ou cirurgia", contou.

"Gravidez é a coisa mais particular que existe no planeta Terra. É uma coisa tão única de cada pessoa. Eu ainda sinto e vejo reflexos dessas duas perdas nessa gravidez. O quanto ela está sendo diferente. E eu tenho certeza que essas duas perdas influenciaram nisso. Assim como influenciaram muito no meu casamento", revelou a atriz, que é casada com o ator Renato Góes

"Eu e o Renato já tínhamos uma relação maravilhosa, mas depois da perda do segundo neném, depois de passar por tudo que a gente passou, a nossa relação se transformou em uma união inexplicável", afirmou.

"Um filho não é um projeto, é uma alma enviada com propósito. É algo muito grandioso, além de um uma vontade. Se tiver que ser, vai ser no tempo de Deus. Eu entendi isso, não que seja fácil", finalizou Ayala.

Em outra ocasião, também pelo Instagram, ela contou que não sabia que estava grávida quando teve um aborto espontâneo na primeira vez. "Na segunda eu já sabia, então fiquei supernervosa com esses medos todos. Foi tudo muito perto. O primeiro aborto espontâneo foi em novembro, a cirurgia foi em fevereiro e em abril engravidei de novo", afirmou.

Mais notícias


Publicidade