Publicidade

viu essa?

Italiano, que pensava namorar Alessandra Ambrósio, disse que fez sexo por telefone com golpista

Jogador de vôlei ainda tentou encontrar estelionatária pessoalmente para 'encerrar o assunto'

| ACidade ON -

 

Alessandra Ambrosio e o jogador de vôlei italiano Roberto Cazzaniga (Foto: Reprodução/Instagram)

A história do jogador de vôlei italiano que passou 15 anos acreditando namorar a modelo brasileira Alessandra Ambrósio ganhou um novo capítulo. Roberto Cazzaniga, que caiu em um golpe conhecido como "catfishing", revelou que chegou a fazer sexo à distância com a mulher que se identificava como a modelo brasileira. No último fim de semana, ele ainda tentou confrontar a golpista pessoalmente.  As informações são do site "Hugo Gloss". 

"Fizemos sexo por telefone durante anos. Eu sempre a chamei de amor, e ela nunca. Eu tive que insistir e lembrá-la de dizer isso. Ela disse que precisava se conectar com máquinas porque sofria de dores no coração", disse Roberto chorando ao portal "Casteddu Online". 

Segundo ele, os dois conversavam pelo celular quase que diariamente. A golpista alegava que não podia ver Roberto pessoalmente por causa da sua rotina de trabalho. Ela começou, então, a pedir dinheiro, para o tratamento de uma suposta doença cardíaca. O jogador de vôlei chegou a enviar 700 mil euros, cerca de R$ 4,3 milhões ao longo dos anos. 

ENCONTRO PESSOALMENTE 

A estelionatária que conversava com o atleta e usava o nome Maya era, na verdade, uma mulher de 50 anos, que vive na Sardenha, chamada Valeria. No último fim de semana, Roberto tentou confrontar a golpista pessoalmente. 

Juntamente com o jornalista que revelou o caso, ele foi à casa de Valeria e tentou, aos gritos, convencer a estelionatária a sair. Ela não respondeu. O jogador de vôlei deixou, então, um bilhete, escrito: "Vou esperar você à beira-mar nos fundos da sua casa para encerrar o assunto para sempre". 

Valeria também não apareceu no local combinado. Após horas esperando, o atleta escreveu um recado na areia: "Adeus Maya". 

ENTENDA O CASO 

De acordo com a imprensa italiana, uma suposta amiga do jogador de vôlei apresentou a vítima à golpista, em 2008. Após os primeiros contatos, a mulher disse que usava um pseudônimo, Maya, mas que ela era, na verdade, a modelo brasileira Alessandra Ambrósio. 

Desconfiada, a família de Roberto começou a juntar provas do golpe e fez a revelação em um programa de TV italiano. 

A suspeita é que três pessoas estão envolvidas no golpe: a "amiga" que passou o contato de "Maya", o namorado dela e uma mulher de 50 anos, que vive na Sardenha, chamada Valeria, que fingia ser Alessandra Ambrósio. 

O atleta procurou a polícia para prestar queixa e o caso está sendo apurado.

Mais notícias


Publicidade