Conselheira do Cade adia julgamento de venda da Reman pela Petrobras Conselheira do Cade adia julgamento de venda da Reman pela Petrobras

Conselheira do Cade adia julgamento de venda da Reman pela Petrobras

Conselheira do Cade adia julgamento de venda da Reman pela Petrobras

A conselheira do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) Lenisa Prado adiou o julgamento do processo que analisa a venda da Refinaria Isaac Sabbá (Reman) pela Petrobras para a Reman Participações, do Grupo Atem. Lenisa é relatora do processo e adiou o caso para a próxima sessão, que deve ocorrer em 15 dias.

Como mostrou na terça-feira o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), integrantes do Cade veem problemas concorrenciais na operação.

>

O negócio é parte do acordo firmado em 2019 com o Cade, em que a Petrobras se comprometeu a vender oito refinarias para aumentar a concorrência neste mercado, e inclui também o repasse de ativos logísticos, como dutos e um terminal aquaviário (TUP Reman).

Em maio, a Superintendência-Geral do Cade chegou a aprovar a operação. A conselheira Lenisa Prado, porém, reabriu a análise, o que levou o processo ao tribunal.

Segundo o Broadcast apurou, a tendência é que a relatora vote pela aprovação do negócio sem restrições, acompanhando, assim, o entendimento da Superintendência-Geral de que não há riscos à concorrência.

>

Já outros conselheiros, no entanto, entendem que, com a compra, a Atem passaria a controlar todos os terminais de embarcações de longo curso de Manaus, e que seria necessário algum tipo de condição ao negócio para contornar essa questão.

Mais Notícias

Mais Notícias