- Publicidade -
PolíticaRepresentante da Paraty afirma que subsídio não permite 'muitas melhorias'

Representante da Paraty afirma que subsídio não permite ‘muitas melhorias’

Luiz Gustavo Herszkowicz participou de audiência pública sobre qualidade do transporte na última segunda-feira (19)

- Publicidade -

Durante a audiência pública sobre a qualidade do transporte público coletivo em Araraquara, realizada na última segunda-feira (19), o representante da Paraty Mobilidade, Luiz Gustavo Herszkowicz, afirmou que o subsídio aprovado recentemente pela Câmara Municipal será insuficiente para garantir “muitas melhorias” no serviço oferecido à população.

“Bom ou ruim, o subsídio vem para manter o transporte. Não é suficiente para que possamos fazer melhorias. Vem, definitivamente, para mantermos o transporte e não para ficar fazendo melhorias. O custo da empresa não vai diminuir, ele é o mesmo e o subsídio vem para pagar os custos do transporte que não estão sendo pagos pela tarifa”, afirmou o representante.

Luiz Gustavo Herszkowicz, representante da Paraty Mobilidade

“Houve um compromisso da empresa de fazer algumas melhorias e vamos cumprir, como o acréscimo de veículos, ampliação da operação aos sábados e domingos, então o subsídio vem para manter o transporte e fazer essas melhorias pontuais”, emendou.

- Publicidade -
Audiência na Câmara debateu situação do transporte coletivo em Araraquara (Foto: Walter Strozzi)

Herszkowicz usou a tribuna da Casa de Leis para demonstrar aos participantes do encontro que a operação do CAT (Consórcio Araraquara de Transporte) é deficitária devido à redução no número de passageiros e os crescentes custos fixos e variáveis – diesel, trabalhadores e outros.

“As consequências do desequilíbrio [financeiro] é o que estamos vivendo: envelhecimento da frota, piora na qualidade do serviço, greve, encerramento das atividades das empresas, suspensão dos serviços, que é o pior que pode acontecer, principalmente, para a população mais carente que depende do ônibus para exercer suas atividades”, introduziu.

Luiz Gustavo Herszkowicz, representante da Paraty Mobilidade

“Já tivemos uma situação muito traumática que foi a liquidação da CTA e deixou uma dívida enorme – tanto tributária, quanto trabalhista e com fornecedores -, causando um trauma enorme e não é isso que queremos novamente para a cidade. A Prefeitura ficou anos pagando a dívida da CTA e não podemos deixar acontecer o mesmo com o CAT”, completou.

Luiz Gustavo Herszkiwicz participou de audiência pública sobre qualidade do transporte em Araraquara (Foto: Walter Strozzi)

Segundo apresentado pelo representante do consórcio – formado pela Paraty Mobilidade e Empresa Cruz -, desde que as empresas assumiram o serviço, a média mensal de pessoas transportadas saiu de 649.151, em 2017, e chegou a 346.365 passageiros, em 2023.

“É um número muito distante do início da operação e também daquele previsto no edital. Então, é uma curva que chama atenção pela distância entre aquilo que foi vendido pelo município e aquilo que está realmente sendo transportado”, apontou.

Luiz Gustavo Herszkowicz, representante da Paraty Mobilidade
Representante da Paraty apresentou números de usuários nos últimos anos em Araraquara (Foto: Reprodução)

Outro apontamento feito pelo representante do CAT é de que atualmente, a tarifa de remuneração – aquela que paga os custos de operação do sistema de transporte público e garante o cumprimento do contrato de concessão -, deveria custar R$ 8,1412.

“Em Araraquara, utilizando as fórmulas previstas em contrato, a tarifa deveria ser de R$ 8,14, que é altíssima, inviável, que as pessoas não têm condição de pagar, mas esse é o custo do sistema, para que ele seja equilibrado com os custos que ele tem e a quantidade de passageiros, a tarifa deveria custar esse valor”, explicou.

- Publicidade -
Usuários relataram diferentes problemas com o transporte de Araraquara (Foto: Walter Strozzi)

Enquete publicada nas redes sociais do acidade on revelou o descontentamento dos usuários com a prestação do serviço. Dos 463 participantes, 302 classificaram o transporte coletivo como Péssimo, enquanto 99 pessoas consideraram Regular. 24 usuários apontaram o transporte como Bom e outras dez pessoas optaram por avaliar o serviço como Ótimo.

Os participantes da audiência pública também listaram diferentes problemas que vivenciam no transporte coletivo: atraso, ausência de veículos nas linhas, ônibus que não passam nos pontos demarcados, bairros não são atendidos pelas empresas e a circulação mais cedo do corujão.

“Estamos falando muito se os passageiros saíram porque o transporte é ruim, ou se ele é ruim porque os passageiros saíram. Acredito que as duas coisas, pois à medida que os passageiros saem precisamos adaptar a uma nova realidade, a renovação da frota é cancelada, a operação é reduzida para garantir que no mínimo exista transporte na cidade”, concluiu.

FIQUE ON

Quer ficar ligado em tudo o que rola em Araraquara e região? Siga o perfil do acidade on Araraquara no Instagram e também no Facebook.

Receba notícias do acidade on Araraquara no WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar o link aqui.

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre Araraquara e região por meio do WhatsApp do acidade on: (16) 99151-3088.

- Publicidade -
Walter Strozzi
Walter Strozzihttp://www.acidadeon.com/araraquara
Formado em Jornalismo pela Uniara (Universidade de Araraquara), Walter Strozzi é repórter no acidade on desde 2018. Anteriormente atuou na Tribuna Impressa, Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal e CBN Araraquara.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Notícias Relacionadas
- Publicidade -