Em racionamento, Valinhos negocia compra de água em Campinas Em racionamento, Valinhos negocia compra de água em Campinas

Em racionamento, Valinhos negocia compra de água em Campinas

A ação, assim que concretizada, vai permitir a Valinhos receber, diretamente na rede, 25 litros de água tratada por segundo

Barragem das Figueiras, na cidade de Valinhos (Foto: Denny Cesare/ Código 19)

 *Esta matéria foi atualizada às 17h30 do dia 5 de outubro de 2021 

A Prefeitura de Valinhos anunciou na manhã desta terça-feira (5), um acordo com a Prefeitura de Campinas para iniciar a captação de 800 milhões de litros de litros de água já tratada.  

Em nota, a Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento) confirmou estar em tratativas com a cidade vizinha, mas indicou que para efetivação existe a necessidade de análise técnica (leia mais abaixo).

Segundo a Prefeitura de Valinhos, a parceria visa diminuir os impactos da estiagem e garantir o abastecimento da população. Valinhos sofre há semanas com a estiagem que afeta toda a região. O valor negociado para a compra ainda não foi divulgado.

'Campinas aceitou a proposta e os trabalhos de interligação das redes de Valinhos e Campinas, na altura do Condomínio Vista Valley (Valinhos) e bairro Vila Formosa (Campinas), na rede sob o Anel Viário Magalhães Teixeira deve ser realizado em 30 dias', disse o comunicado da Prefeitura.  Segundo a prefeitura, cerca de 33% das residências de Valinhos serão beneficiadas a aquisição. 

A ação, assim que concretizada, vai permitir a Valinhos receber, diretamente na rede, 25 litros de água tratada por segundo. Apesar do repasse, a Prefeitura no entanto indicou que mesmo com a medida a cidade manterá o racionamento.

SECA 

Segundo a Administração, os mananciais de Valinhos, que representam próximo de 40% de todo o abastecimento da cidade, estão praticamente secos, o que tem provocado a necessidade do racionamento.   

No final de setembro, O Daev (Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos) alertou para o nível crítico identificado em suas barragens municipais. Segundo o departamento, a barragem João Antunes dos Santos, que há semanas estava operando com 5% de sua capacidade total, chegou a 0% de operação.

Durante o alerta, o departamento ainda indicou um cenário de intermitência no fornecimento de água mesmo depois do período pós-rodízio. 

A SANASA 
 
Sobre o caso, a Sanasa disse que 'tem discutido intensamente a possibilidade de uma parceria que permita encontrar uma solução temporária para o abastecimento de água em Valinhos, amenizando os efeitos da grave crise hídrica que nos assola'.

Ainda em nota oficial, a empresa afirmou que 'as negociações estão em estágio avançado entre as partes, particularmente no que respeita aos aspectos técnicos e jurídico'.

Além disso, a Sanasa informou que, ao longo desta semana, 'os detalhes de natureza comercial serão objeto de reunião entre as partes'.

'Nossa expectativa é que possamos concluir, com sucesso, nos próximos dias e iniciar as intervenções técnicas necessárias para o fornecimento, o qual deverá começar em até 30 dias após a assinatura do contrato', encerrou a nota.

Mais Notícias

Mais Notícias