- Publicidade -
CotidianoManifestantes protestam em Campinas contra o PL do aborto

Manifestantes protestam em Campinas contra o PL do aborto

Protesto aconteceu nesta sexta-feira (14) no Largo do Rosário, no Centro; projeto equipara o aborto ao homicídio

- Publicidade -
- Publicidade -

Manifestantes se reuniram no fim da tarde desta sexta-feira (14) no Largo do Rosário em Campinas para protestar contra o PL (Projeto de Lei) que equipara o aborto ao homicídio nos casos de interrupção da gravidez após a 22ª semana de gestação.

O Projeto de Lei 1904/24 prevê que o aborto realizado em qualquer situação, inclusive no caso de gravidez resultante de estupro, seja enquadrado como homicídio. Prevê ainda pena de até 20 anos de prisão para mulher que fizer o procedimento.

A manifestação em Campinas durou cerca de duas horas e deu coro aos protestos que têm sido realizados esta semana em cidades brasileiras. Ontem (13), grupos foram às ruas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Protesto no fim de tarde desta sexta-feira em Campinas (Foto: Código 19)

Para uma das integrantes da Frente Estadual pela Legalização do Aborto, Tatiany Araújo, a medida tem um único objetivo: proteger os infratores.

- Publicidade -

“As maiores prejudicadas são as vítimas de violência sexual. Dentre elas, as menores. No país, tem 38 meninas se tornando mães por dia. O aborto legal é uma medida muito importante para todas com capacidade de gestar, mas sobretudo para as meninas vítimas. Esse PL ataca diretamente meninas que já tiveram seus direitos violados. A quem ele interessa? Aos abusadores“, afirmou.

Tramitação do PL do aborto

Na quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados aprovou o regime de urgência para a tramitação do Projeto de Lei 1.904/24, que aumenta de dez para 20 anos a pena máxima para quem fizer o procedimento.

Hoje (14), o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luís Roberto Barroso, evitou se manifestar. Disse que vai opinar sobre a questão somente se o caso chegar à corte.

“A matéria está no Congresso, que é o lugar certo para se debaterem os grandes temas nacionais. Se e quando a matéria chegar no Supremo, eu vou opinar sobre isso”, afirmou.

Já o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que o texto não será levado direito ao plenário da Casa. Afirmou que matéria vai tramitar pelas comissões, será tratada com “muita cautela” e terá participação das senadoras.

Quer ficar ligado em tudo o que rola em Campinas? Siga o perfil do acidade on Campinas no Instagram e também no Facebook

Receba notícias do acidade on Campinas no WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar o link aqui!

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre Campinas e região por meio do WhatsApp do acidade on Campinas: (19) 97159-8294.

LEIA TAMBÉM NO ACIDADE ON PIRACICABA

Foragido da Justiça, integrante de facção criminosa é preso em Santa Bárbara

Incêndio destrói fábrica de plástico e interdita trânsito em Limeira 

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Notícias Relacionadas
- Publicidade -