Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

Mercado de luxo cresce e alcança os 260 bilhões em 2018

Tendência que deve continuar até 2025. Américas cresceram 5% e alcançaram 80 bilhões; incertezas políticas ainda prejudicam o Brasil

| ACidadeON/Ribeirao


O mercado global, que inclui tanto bens de luxo quanto experiências, cresceu 5%, a taxas de câmbio constantes em 2018, para um valor estimado de 1,2 trilhão, com desempenho geral positivo em todos os segmentos. Bens pessoais de luxo superaram o mercado, registrando crescimento de 6%, a taxas de câmbio constantes, para alcançar 260 bilhões.

Olhando adiante, essa tendência positiva de crescimento deverá continuar na faixa de 3% a 5% ao ano até 2025 resultado de fundamentos de mercado favoráveis e alcançar de 320 a 365 bilhões. 

Essas são as descobertas da 17ª edição do Estudo de Luxo da Bain & Company, feito em colaboração com a Fondazione Altagamma, associação da indústria de fabricantes de artigos de luxo da Itália.  

Luxo em 2025 7 macrotendências

Mais compras impulsionadas pelos chineses acontecendo na China Os consumidores chineses representarão pelo menos 45% do mercado (acima dos estimados 32% em 2018), e farão metade de suas compras de luxo em casa.

E-commerce e digital on-line permearão cada compra A Bain & Company espera que até 2025 o on-line represente 25% do valor de mercado hoje em 10% canibalizando canais mais tradicionais, e 100% das compras de luxo serão influenciadas pela internet. 

Remodelação da loja do futuro A redução do tráfego de clientes nas lojas físicas, induzida pelo digital, impulsionará a transformação, semelhante ao que já aconteceu em outros setores de varejo (por exemplo, música e livros). Consequentemente, o papel da loja como é hoje inevitavelmente mudará: de um simples ponto de venda para um verdadeiro ponto de contato com os consumidores.

Um mercado mais jovem transformará a trajetória de crescimento do luxo As novas gerações serão o principal motor de crescimento nos próximos anos. A geração Z e os millennials (ou seja, a geração Y) representarão 55% do mercado de 2025, e contribuirão com 130% do crescimento do mercado no período.

Culturas e subculturas tomarão conta das tendências de consumo Culturas em evolução (religião, etnia) e subculturas (minorias) formarão a moda e o luxo em 2025. Grupos culturais e de subculturas ganharão cada vez mais influência sobre as tendências de consumo. Marcas de luxo terão de reconhecê-las e abraçá-las, para permanecer relevantes.

Um mercado para atender aos mercados de um Em 2025, as marcas experimentarão um cruzamento de fronteiras competitivas típicas. O modelo-padrão, em que as marcas crescem para se tornar especialistas em uma categoria, ou diversificadas em direção ao "posicionamento lifestyle", será levado ao extremo.

Agilidade é o novo preto Este ano confirmou a recente tendência de maior lucratividade de 19% de margem EBIT, em 2017, para 20% em 2018. No entanto, a revolução digital continuará a mudar os perfis de gastos-chave no P&L das marcas. A rentabilidade se estabilizará, presumindo que as marcas adotem uma abordagem mais ágil em toda a cadeia de valor.