Aguarde...

Lazer e Cultura

Palacete histórico no Centro de Ribeirão Preto será restaurante

Proprietários do Palacete Jorge Lobato pretendem inaugurar o estabelecimento no mês que vem; Local promete servir comidas típicas dos anos 1920

| ACidadeON/Ribeirao

Restauração do Palacete Jorge Lobato terminou em 2017 (Foto: Weber Sian/Arquivo A Cidade)
Depois de passar por restauração, o Palacete Jorge Lobato, que fica na esquina das ruas Florêncio de Abreu e Álvares Cabral, no Centro de Ribeirão Preto, virará um restaurante e café. O nome: Palacete 1922. 

Os donos do imóvel, construído em 1922 (por isso o nome), planejam inaugurar o novo estabelecimento no mês de novembro de 2019.  

De acordo com a arquiteta Ingrid Sominami Lopes, uma das proprietárias do palacete, o restaurante terá no menu comidas da época em que foi construído, ou seja, pratos que eram servidos há 100 anos. O chef de cozinha do estabelecimento é Danilo Sakamoto.  

"A casa é de 1922. Então, fizemos todo um estudo da comida que era servida na época, que era mais simples, estilo fazenda. Tanto que não tem frutos do mar, não vamos trabalhar com essa parte. Vai ser uma comida bem brasileira mesmo", explica Ingrid.  

Os testes para abertura do restaurante já começaram. Na última semana, o local recebeu um evento de degustação dos pratos do cardápio.  O treinamento dos funcionários que vão trabalhar na casa começa na primeira semana de novembro. 

Além do casarão e do cardápio, a arquiteta conta que a decoração também foi inspirada no período que o imóvel foi construído. "A decoração toda foi comprada em antiquário, porque nós queremos seguir um padrão mesmo, para não ficar uma casa antiga com uma mobília moderna", disse. 
 


Restauração 
 
O Palacete Jorge Lobato foi construído em 1922, a pedido do engenheiro Jorge Lobato, que hoje batiza o casarão. Ele foi vereador em Ribeirão Preto entre as décadas de 1920 e 1930, chegando a ser presidente do Legislativo. Além disso, ele era comerciante e fazendeiro na região.  

O imóvel foi tombado pelo Conppac (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural) de Ribeirão Preto em 2008. Contudo, a edificação ficou fechada 20 anos, sem receber a manutenção adequada.  

Em 2014, o casarão foi adquirido pelos irmãos arquitetos Ingrid e Hector Sominami, que iniciaram a restauração no ano seguinte em uma parceria com alunos e professores de arquitetura do Centro Universitário Moura Lacerda. Os trabalhos foram concluídos em 2017.  
 

Leia mais:
A história arquitetônica de Ribeirão Preto ao alcance de todos


Mais do ACidade ON