18 de abril de 2024
- Publicidade -
EP Agro

Preço da tilápia mantêm patamares do recorde de 2023 

Apesar da valorização, procura está abaixo do esperado

Os preços da tilápia atingiram recordes nominais no ano de 2023 (Foto: Internet)

Por: Marina Fávaro

A procura por pescados aumenta durante a quaresma, já que muitos fiéis fazem penitência de deixar de comer carne vermelha como respeito às tradições religiosas. Mas de acordo com pesquisadores do Cepea, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo, as cotações de tilápia durante esta semana não tiveram muitas oscilações, como geralmente acontece. 

“Esse período sempre é de grandes e boas expectativas no setor de pescados, contudo, o que temos visto até o momento, principalmente, em março, é que as negociações de tilápia estão abaixo do esperado pelas indústrias e pelos produtores e que a oferta está maior do que o setor projetava. Com isso, os preços não estão conseguindo avançar na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea”. 

A instituição monitora os preços em cinco regiões brasileiras. No Oeste do Paraná, que concentra a maior produção do país, o quilo da tilápia foi vendido nessa semana por, em média, R$ 9,41. Há exatamente um ano custava R$ 8,97.  

LEIA MAIS

Qual é o salário de um operador de máquina agrícola?

Importações de cacau no Brasil aumentam 300%

Para os pesquisadores, há uma série de fatores que determinam o preço do pescado. “Preços dos insumos, oferta, procura, clima e hábitos de consumo são levados em consideração para fornecer as análises para o setor. Aqui no Cepea, nós temos uma rede de colaboradores de diversas pontas da cadeia que nos fornecem o preço praticado no mercado e, após uma análise estatística, divulgamos os preços semanais para a tilápia”, explicou. 

- Publicidade -

Os preços da tilápia atingiram recordes nominais no ano de 2023, chegando a custar R$ 10,17 o quilo na região dos Grandes Lagos, que corresponde ao noroeste do estado de São Paulo e à divisa de Mato Grosso do Sul. “Nos últimos anos, a oferta de tilápia foi restrita devido a desafios sanitários e, por outro lado, a ponta consumidora também demandou mais, refletindo em altas no preço”, disse. Os pesquisadores concluem que “de acordo com projeções realizadas pelo Cepea, a oferta de peixes em 2024 deve ser maior quando comparado ao ano anterior, fazendo com que nesse ano os preços fiquem mais estáveis”. 

Luciana Thie Seki Dias, que é zootecnista e docente da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), pontua, porém, que “é importante destacar que o valor da tilápia continua sendo valorizado, pois caiu no gosto do consumidor devido às características do filé. Nesse sentido, o consumidor aprendeu a consumir a tilápia e o setor produtivo precisa crescer para atender a demanda de consumo”.

* Sob supervisão de Marcelo Ferri

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -

Saca de milho tem queda e dieta do grão apresenta vantagem para o produtor

- Publicidade -
plugins premium WordPress