Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Seleção masculina leva virada e perde para França no tie-break na Liga das Nações

Liga das Nações seleção brasileira masculina de vôlei França

| Estadao Conteudo

Em um grande jogo, definido no tie-break, a seleção brasileira masculina de vôlei vacilou nos dois últimos sets e perdeu para a França por 3 a 2, com parciais de 22/25, 25/20, 21/25, 25/22 e 15/13, nesta quarta-feira, em Lille, na casa do adversário, no jogo de abertura do Grupo A da fase final da Liga das Nações.

A equipe comandada por Renan Dal Zotto teve a oportunidade de fechar a partida no quarto set, mas cometeu muito erros de saque. Também sentiu a perda de Maurício Borges, que sofreu entorse no joelho direito durante o terceiro set. No fim das contas, viu Ngapeth sobrar em quadra na reta final e garantir o triunfo francês.

O Brasil jogará novamente já nesta quinta-feira, às 15h45 (de Brasília), e precisa vencer a Sérvia para seguir com chances de classificação. Os franceses descansam e jogam apenas na sexta-feira, no mesmo horário, também contra a seleção sérvia.

O duelo desta quarta-feira foi a reedição da decisão do ano passado, quando a França se sagrou campeã também com um triunfo no tie-break. Os franceses vinham ainda embalados por uma excelente primeira fase na atual temporada - terminaram na liderança. A equipe brasileira ficou apenas em quinto lugar, com dez vitórias e cinco derrotas.

Curiosamente, assim como em 2017, a fase final do torneio acontece em um estádio. No ano passado, o Brasil recebeu a última parte da competição, então denominada Liga Mundial, e optou por levar as partidas para a Arena da Baixada, em Curitiba. Neste ano, os franceses colocaram os jogos no estádio Pierre Mauroy, que é coberto e tem capacidade para 50 mil pessoas.

Renan optou por começar a partida com Bruninho, Isac, Lucas Loh, Lucão, Wallace, Maurício Borges e o líbero Thales. O time brasileiro começou concentrado, disposto também a devolver a derrota por 3 sets a 0 da primeira fase.

Com pontos de Wallace e Isac na sequência, o Brasil abriu 6 a 2 no início e obrigou o técnico francês, Laurent Tillie, parar a partida pela primeira vez. O tempo pedido não alterou o ritmo do jogo. Wallace seguia inspirado e virou uma bola em contra-ataque para abrir 10 a 3. Os franceses, então, acertaram o saque e conseguiram equilibrar um pouco a partida. Em um contra-ataque, Ngapeth diminuiu a vantagem para 11 a 8. O Brasil soube administrar a vantagem e fechou em 25 a 22 após erro de saque francês.

Os donos da casa se acertaram no segundo set, que começou equilibrado. Após um toque na rede de Wallace, a França abriu 10 a 7. O Brasil chegou a encostar em ataque de Mauricio Borges e ficou um ponto atrás, com 16 a 15. Mas os franceses, com o apoio dos torcedores, seguiram em vantagem e chegaram em 25 a 20.

No terceiro, o Brasil foi abrir dois pontos de vantagem em 11 a 9 e depois foi administrando. Quando o jogo estava em 22 a 20 para o time brasileiro, Maurício Borges sofreu o entorse no joelho e precisou ser carregado para fora de quadra. Mesmo sem ele, a equipe seguiu superior e fechou em 25 a 21 com um ace de Maurício Souza.

A seleção brasileira teve a oportunidade de fechar o jogo no quarto set, mas vacilou demais, especialmente nos erros de saque. Mesmo assim, em um bloqueio de William em cima de Ngapeth conseguiu empatar em 16 a 16. Ngapeth, no entanto, anotou os dois pontos seguintes e colocou novamente os franceses em vantagem. Com dois erros de saque brasileiro em sequência, de Evandro e Eder, a França fechou e mandou para partida para o tie-break.

O time nacional continuou a cometer erros no set final e, em um dois toques de Bruninho, a França abriu 9 a 6. A equipe, no entanto, não desistiu da partida. Em duas defesas espetaculares, o Brasil recuperou para 11 a 9. Em um ponto de bloqueio chegou a fazer 13 a 12. Wallace, no entanto, errou o saque e deu o match point para a França. Após saque de Douglas, Le Goff virou a bola no meio de rede e fechou a vitória francesa em 15 a 13.

Veja também