Aguarde...

Cotidiano

Saúde: Mitos e verdades sobre as dietas restritivas

Patricia de Aquino Rodrigues, que coordena curso de Nutrição em Ribeirão Preto, fala sobre carboidrato, glúten e reeducação alimentar

| ACidadeON/Ribeirao


Quando o ponteiro da balança aponta para a direção dos quilos a mais, a maioria das pessoas vai à internet em busca de dietas milagrosas. De acordo com Patricia de Aquino Rodrigues, coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Barão de Mauá em Ribeirão Preto, assim como as outras áreas do conhecimento, a nutrição sofre com o disparo de notícias falsas. 

Pensando nisso, a nutricionista reuniu os principais mitos e verdades sobre a alimentação, explicando cada um deles.

Jejum intermitente emagrece?
Segundo a coordenadora, ficar de jejum até pode ajudar a emagrecer. No entanto, ela ressalta que estudos comprovam que restringir o consumo alimentar a uma refeição ao dia pode comprometer a saúde do paciente.
"Realizar apenas uma refeição por dia exclui a possibilidade de colocar em prática dois dos principais pilares da nutrição: a variedade e o equilíbrio. Um período longo sem alimentação pode ocasionar fome em excesso, falta de energia, dor de cabeça, sensação de frio, constipação, falta de concentração e mau humor", explica.
Além disso, quem passa muito tempo em jejum, geralmente, tende a procurar por alimentos mais calóricos.
"Essa privação energética prolongada faz com que o indivíduo tenda a escolher alimentos com elevada densidade energética, o que ocasiona uma dieta com qualidade inferior quando comparada à de indivíduos que seguem a restrição calórica contínua acompanhada por um nutricionista", afirma.

Dieta sem glúten emagrece?
O glúten é uma fração proteica presente no trigo, no centeio e na cevada. Devido à capacidade de formar uma massa elástica e viscosa, que depois de assada promove uma textura e um sabor agradável, ele é amplamente utilizado na panificação.
Para muitas pessoas, o glúten é o grande vilão das dietas. No entanto, a nutricionista ressalta que os verdadeiros criminosos são o excesso de amido na alimentação e consumo exagerado de alimentos gordurosos e industrializados.
"Segundo o Conselho Regional de Nutrição, a recomendação indiscriminada para restrição ao consumo de glúten não encontra, atualmente, respaldo na ciência e está em desacordo com o Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar. A restrição do consumo de glúten deve ser destinada apenas aos pacientes com diagnóstico clínico confirmado de doença celíaca ou de alergia", diz.

Para perder peso é preciso comer a cada três horas?

Patricia explica que o ideal é realizar as três principais refeições, que são café da manhã, almoço e jantar, e intercalar as outras horas do dia com pequenos lanches saudáveis a fim de manter a glicemia em níveis adequados.
"Os lanches intermediários fazem com que o indivíduo não vá com tanta fome para a refeição seguinte, prevenindo exageros. Dessa forma, estará respeitando o seu organismo e tendo uma perda de peso natural e saudável", comenta.

Reeducação alimentar e dietas rigorosas surtem o mesmo efeito?
De acordo com a nutricionista, a reeducação alimentar implica na avaliação nutricional do paciente, considerando todas as suas necessidades diárias. A partir dessa análise, é desenvolvida uma dieta personalizada de acordo com o seu perfil físico e metabólico e que considera suas atividades diárias.
"A reeducação alimentar requer uma adaptação por parte do paciente, mas nada que envolva sofrimento como relatos de fome, situação descrita por quem se submete a dietas rigorosas", explica.
Por sua vez, as dietas mais restritivas ofertam índices calóricos abaixo da taxa metabólica basal - quantidade de energia que o corpo gasta para manter as funções vitais do organismo. Desse modo, o paciente estará ingerindo menos calorias do que o corpo precisa para se manter vivo, prejudicando o seu metabolismo.
"O corpo como forma de defesa sofre uma adaptação metabólica, desacelera o metabolismo, deixando-o mais lento. É exatamente aqui que podemos dizer que você não irá emagrecer, pois quanto maior a desaceleração metabólica, mais difícil será a perda de peso", afirma.

O metabolismo lento pode atrapalhar a perda de peso?
Patricia ressalta que a pratica de atividade física regular é fundamental para quem deseja perder peso. Isso porque, quanto mais o indivíduo se movimentar, mais ativo estará o seu metabolismo.
"É necessário procurar um nutricionista para identificar se realmente o seu metabolismo está lento. Assim, o profissional irá elaborar um cardápio adequado às suas necessidades a fim de ofertar níveis calóricos adequados ao corpo. Além disso, é importante tornar a rotina de vida mais ativa. Pratique atividades físicas, utilize a escada, ande a pé e menos de carro. Essas são pequenas atitudes que irão fazer uma grande diferença", finaliza.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON