Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Prefeitura não apresenta proposta de reajuste para servidores

Sindicato pediu reajuste de 5,48%, porém Administração Municipal afirma que limite da Lei de Responsabilidade Fiscal e aportes no IPM são empecilhos

| ACidadeON/Ribeirao

Presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto, afirmou que convocará assembleia para discutir próximos passos com servidores (Foto: Marcelo Fontes/Arquivo A Cidade).
 
Terminou sem uma contraproposta a primeira reunião da Prefeitura de Ribeirão Preto com o Sindicato dos Servidores Municipais, marcada para esta quinta-feira (14), para discutir o reajuste salarial da data-base referente ao ano 2019, que vence neste mês de março. Inicialmente, o Governo não pretende realizar o reajuste salarial para o funcionalismo.  

A reunião aconteceu na sede da Secretaria de Administração, no final da tarde. Os servidores apresentaram no final de fevereiro a proposta de reajuste salarial no valor de 5,48%, sendo 3,78% de reposição da inflação por base no IPCA mais 1,7% de aumento real. 

De acordo com a prefeitura, a Comissão de Política Salarial analisou que a proposta do sindicato resultaria em impacto financeiro para os cofres da prefeitura. A Administração Municipal informou que continua aberta a negociação, porém, disse que não é possível fazer o reajuste proposto pelo sindicato.  

Por meio de nota, a prefeitura informou que realizará uma reunião na próxima semana para apresentar os fatores que a levaram a propor o não reajuste salarial do funcionalismo no ano de 2019. Porém, informa que Lei de Responsabilidade Fiscal e aportes no IPM (Instituto de Previdência dos Municipiários) são impeditivos.  

No início do mês de março, o secretário da Fazenda de Ribeirão Preto, Manoel Gonçalves, disse ao ACidade ON que o governo já está com os gastos acima do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. A folha de pagamento consome, atualmente, 55% da receita municipal, mesmo com o limite prudencial sendo 51%.  

O presidente do Sindicato, Laerte Carlos Augusto, saiu contrariado da reunião com a Secretária de Administração e afirmou que convocará uma assembleia com os servidores para decidir os próximos passos. Uma nova greve não está descartada. Lembrando que o Governo Duarte Nogueira sofreu com paralisações em 2017 e 2018.  

"O governo não reconhece o trabalho do servidor municipal. Infelizmente o governo municipal, no seu terceiro ano, apresenta como proposta 0% ao funcionalismo. Isso é lamentável, porque não existe o menor reconhecimento para os funcionários públicos de Ribeirão Preto", declarou o presidente do sindicato.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook