Aguarde...

cotidiano

Ribeirão vive situação crítica com falta de kits de intubação

Prefeitura diz que Ministério da Saúde e COSEMS ainda não fizeram a entrega de medicamentos, prevista para o último fim de semana

| ACidadeON/Ribeirao

Veja abaixo a ocupação dos leitos de UTI em Ribeirão Preto (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
 
A Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto informou, nesta quarta-feira (14), que a cidade vive uma situação "crítica" devido à falta de medicamentos utilizados para a internação de pacientes com Covid-19.

Em nova enviada ao portal ACidade ON, a Pasta disse que o Ministério da Saúde e o COSEMS-SP (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de São Paulo) ainda não realizaram a entrega de medicamentos que compõem o chamado "kit intubação". 

O prazo acordado para a entrega terminou na última semana, segundo a prefeitura. 

Ainda no texto, a Saúde também justificou o momento crítico pelo não cumprimento dos contratos de fornecedores. "[..] Os contratos não estão sendo cumpridos por parte das empresas fornecedoras por requisição administrativa de 100% da produção pelo Ministério da Saúde", completou. 


Internações

Na manhã desta quarta, a lotação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para tratamento do coronavírus é de 92,6% em todos os hospitais de Ribeirão Preto, aponta a plataforma leitoscovid.org.

De todos os 314 leitos disponíveis, 291 estão ocupados, sendo que 214 pacientes fazem o uso de respiradores. 

Já nas enfermarias, a taxa de ocupação geral é de 71,9% - 279 leitos em uso para os 388 disponíveis. Ao todo, seis pacientes precisam de respiradores para o enfrentamento da doença. 
 
 
VEJA ABAIXO, NA ÍNTEGRA, A NOTA DA SECRETARIA DA SAÚDE DE RIBEIRÃO PRETO: 
"A Secretaria Municipal da Saúde informa que está em situação crítica com o não cumprimento dos contratos com os fornecedores e a não entrega de medicamentos acordados com o Ministério da Saúde e COSEMS, para o último final de semana".


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON