Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Pedagoga diz que recessos devem ser utilizados para estudos

Para professora da USP, rede municipal de Ribeirão Preto deve oferecer acompanhamento para estudantes com dificuldade de aprendizagem durante recessos

| ACidadeON/Ribeirao

Em 2020, haverá quatro períodos de 'férias' na rede municipal de Ribeirão (Foto: F.L. Piton/CCS Ribeirão)
 
Para especialista, o novo modelo que será adotado na rede municipal de ensino em Ribeirão Preto, que a partir de 2020 adotará recessos ao final de cada bimestre, precisa ser utilizado por estudantes e professores para aprimoramento da aprendizagem.  

A pedagoga Elaine Assolini, professora da FFCL-RP (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras) da USP (Universidade de São Paulo) diz que "há muito a se fazer nesse período".  

Leia mais:
Escolas de Ribeirão terão quatro períodos de férias em 2020  

A especialista cita, por exemplo, que os períodos de uma semana sem aula nos meses de abril e outubro poderia ser utilizado para acompanhamento de estudantes com dificuldade no aprendizado e aperfeiçoamento profissional de professores.  

"O ideal é que nesse período as crianças que estejam com dificuldades pudessem ter alguma atividade, pudesse ser oferecido para o professor alguns cursos de capacitação e aperfeiçoamento profissional. Aproveitar esse recesso de maneira produtiva, que enriquecesse a criança, que enriquecesse o professor", comenta Elaine.  

De acordo com a pedagoga, a medida já tem sido adotada em outros lugares, como a própria rede estadual de ensino e, também, em outros países. Contudo, ela recorda que muitos estudantes não terão com quem ficar nos dias que não terão aula, já que os pais poderão estar trabalhando.  

"Essa é uma situação complexa com a qual a secretaria municipal da Educação terá que lidar", pontua.  

Para igualar estado
 
De acordo com o secretário da Educação de Ribeirão Preto, Felipe Elias Miguel, a medida foi tomada estritamente para igualar o modelo que será adotado pela rede estadual, já que ele lembra que há casos de irmãos que estudam em escolas diferentes. "Isso garante uma melhor organização das férias para alunos e professores", explica.  

Atualmente, existem cerca de 47 mil alunos matriculados na rede municipal em Ribeirão Preto, distribuídos entre educação infantil, ensino fundamental, educação especial, educação profissional básica e educação de jovens e adultos. O ano letivo de 2020 deve ser iniciado em 3 de fevereiro.  
 
A reportagem procurou o Conselho Municipal da Educação e a Aproferp (Associação de Profissionais da Educação de Ribeirão Preto), mas não houve manifestação até a publicação da matéria.



Mais do ACidade ON