Aguarde...

Lazer e Cultura

Edifício Diederichsen vai se tornar um centro cultural em Ribeirão Preto

Prédio é considerado por historiadores o primeiro edifício multiuso do Estado de São Paulo

| ACidade ON

Matheus Urenha / A Cidade
O Edifício Diederichsen começou a ser construído em 1934 e inaugurado dois anos depois

 

Uma das principais referências históricas de Ribeirão Preto, o Edifício Diederichsen vai ser transformado em um centro cultural. Para isso, o prédio, tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual desde 2009, será alvo de um processo gradual de reforma e restauro estimado em R$ 10 milhões. A informação foi obtida, com exclusividade, pelo A Cidade junto à Santa Casa da Misericórdia de Ribeirão Preto, proprietária do imóvel.

VEJA FOTOS

“A transformação do prédio em centro cultural visa promover a união com a comunidade, por meio da cultura, e dar funcionalidade sustentável ao patrimônio histórico, tornando-o elemento-chave para a preservação da memória do ribeirão-pretano”, explicou o diretor-superintendente da instituição, Marcelo Di Bonifacio.

Segundo o diretor, o projeto de restauro e reforma está sendo elaborado por uma equipe especializada em projetos incentivados e de patrimônio. A proposta de recuperação aguarda aprovação via Lei Rouanet para o final deste ano. A captação de recursos deverá ter início em 2017. A lei federal, criada em 1991, permite que parte dos impostos pagos por empresas e pessoas seja utilizada para financiar projetos de incentivo a diversas áreas da cultura – livros, preservação de patrimônio cultural, música, audiovisual, artes cênicas.

Segurança

Uma das etapas percorridas pela Santa Casa para alterar o perfil de ocupação do Edifício Diderichsen foi a realização de reuniões com o Ministério Público, em encontros com os promotores da Habitação e do Patrimônio Público.

O objetivo, segundo Di Bonifacio, foi apresentar a necessidade de reforma do prédio por questões de segurança, sobretudo dos moradores. Nos seus cinco andares, o Diederichsen conta com cerca de 200 apartamentos, que são alugados para moradia e comércio. O último andar é ocupado por um hotel.

“Por segurança, iniciaremos o processo de desocupação informando aos moradores o encerramento ou a não renovação dos contratos de aluguel, a fim de submeter o prédio às melhorias necessárias. Todo o processo será gradual, pensando no bem-estar social dos locatários”, disse. “As notificações de dispensa de renovação do contrato já estão sendo enviadas e haverá prazo para o seu cumprimento, respeitando os parâmetros legais de locação”, finalizou.

Prédio é símbolo do modernismo em Ribeirão Preto

Tombado pela Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) em novembro de 2009, o Edifício Diederichsen começou a ser construído em 1934 e inaugurado dois anos depois. É considerado não apenas o primeiro edifício de Ribeirão Preto como também um símbolo do modernismo na cidade, pelo seu estilo Art Déco.

Segundo informações do Arquivo Público e Histórico de Ribeirão Preto (APHRP), o prédio é considerado por historiadores o primeiro edifício multiuso do Estado de São Paulo – pela proposta de reunir, no mesmo local, unidades que poderiam ser utilizadas para comércio, serviços, habitação e, no caso do último andar, hotelaria. 

No térreo, durante várias décadas, esteve em funcionamento o Cine São Paulo, que tinha capacidade para 1,2 mil pessoas. A parte inferior do prédio abriga a tradicional cafeteria Única e também foi o local original de instalação do Bar Pinguim. 

Matheus Urenha / A Cidade
Antonio Diederichsen (1875-1955) foi um próspero empresário nascido em São Paulo; veja mais fotos na galeria

 

O personagem

Antonio Diederichsen (1875-1955) foi um próspero empresário nascido em São Paulo, filho de imigrantes alemães e que fez fortuna vendendo produtos voltados para o mercado agrícola nas primeiras décadas do século 20.

Depois, foi ampliando os seus negócios para a construção civil (onde o Edifício Diederichsen, um dos primeiros prédios multiuso do Estado, é o principal exemplo), venda de combustíveis, revenda de automóveis e comércio.

O Antigo Banco Constructor, uma de suas propriedades, é considerado a primeira loja de departamentos do Interior.

Faleceu em 30 de setembro de 1955, após complicações da diabetes. Em testamento, deixou sua herança para a Santa Casa de Misericórdia. 

Mais do ACidade ON