29 de maio de 2024
- Publicidade -
EP Agro

Novo método de análise ajuda a escolher o momento ideal para a colheita de uvas para vinhos

Descoberta deve melhorar qualidade da bebida produzida no Brasil

Um método de análise científica inovador promete transformar a produção de vinhos tintos no Brasil, proporcionando uma colheita mais precisa e melhorando a qualidade das bebidas. Desenvolvido por uma equipe de pesquisadores brasileiros e espanhóis, o método utiliza a cromatografia líquida bidimensional abrangente para estudar a evolução das antocianinas nas uvas durante o amadurecimento e fornecer dados cruciais que ajudam a determinar o momento ideal da colheita. 

As antocianinas, compostos fenólicos encontrados em vegetais e frutas, desempenham um papel essencial na coloração, aroma e estabilidade dos alimentos. Essas substâncias, naturais ou sintéticas, são multifuncionais, conferindo ao vinho tinto sua cor característica e influenciando propriedades sensoriais como sabor, adstringência e amargor. Além disso, as antocianinas possuem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, cardioprotetoras e anti-hipertensivas, benefícios adicionais à saúde dos consumidores. 

Uma pesquisa, realizada com uvas Malbec no vinhedo da vinícola Vale das Colinas, em Garanhuns (PE), revelou padrões de concentração de antocianinas ao longo do tempo de maturação. O estudo destaca que esse tipo de ocorrência tem seu ápice na sexta semana após o início da maturação, seguido por uma redução. Essa descoberta fornece aos viticultores informações úteis para determinar o momento ideal da colheita, crucial para a produção de vinhos tintos de excelência.  

 

 

LEIA TAMBÉM  

Valor Bruto da Produção no Brasil atinge R$ 1,151 trilhão 

Instituto de Zootecnia criará suínos para transplante de órgãos em humanos 

- Publicidade -


A vinícola Vale das Colinas, pioneira na área e situada em um terreno de 3,5 hectares desde 2018, abriga não apenas uvas Malbec, mas também variedades Muscat Petit Grain e Cabernet Sauvignon. A escolha do Malbec, objeto de estudo, se baseia em pesquisas prévias realizadas pela Embrapa Semiárido (PE) e UFAPE (Universidade Federal do Agreste de Pernambuco). 

A pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente (SP), Aline Biasoto Marques, destaca a complexidade do perfil fenólico das uvas e sua evolução durante o amadurecimento. Compreender essas nuances bioquímicas, segundo ela, é crucial para os produtores, que poderão aprimorar o momento da colheita e maximizar tanto os aspectos sensoriais do vinho quanto seu potencial saudável. 

- Publicidade -

A riqueza dos compostos fenólicos em uvas, como flavonoides, estilbenos e taninos, oferece benefícios diversos. Além de influenciarem a cor e o sabor, alguns, como os estilbenos, têm potenciais efeitos anticancerígenos e cardioprotetores. A compreensão detalhada desses compostos e sua evolução durante o amadurecimento da uva não só melhora a qualidade do vinho, mas também pode impactar positivamente a saúde humana.
 

 

LEIA MAIS 

Quando acaba o calor no Brasil? Mês de dezembro será mais quente que novembro

Vitória Silva
Repórter no ACidade ON Campinas. Formada em Jornalismo pela Unesp, tem passagem pelos portais Tudo EP e DCI, experiência em gravação e edição de vídeos, produção sonora e redação de textos, com maior afinidade com temas que envolvem cultura e comportamento.
- Publicidade -
plugins premium WordPress