20 de abril de 2024
- Publicidade -
Tudo Notícias

O que Bolsonaro disse em discurso na Paulista?

Em ato em seu apoio, ex-presidente, que é investigado pela PF por tentativa de golpe de estado, evitou citar nomes de adversários e o STF

Ex-presidente Jair Bolsonaro discursa em ato na Av. Paulista (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O ex-presidente Jair Bolsonaro esteve neste domingo (25), na Avenida Paulista, em São Paulo, em um ato em seu apoio. Ele é um dos alvos da operação Tempus Veritatis (hora da verdade, em latim) da PF (Polícia Federal), que apura a tentativa de golpe de Estado após as eleições de 2022.

Na ocasião, Bolsonaro perdeu a disputa à Presidência da República para Luiz Inácio Lula da Silva, no segundo turno, e ele e seus apoiadores passaram a colocar em cheque a credibilidade das eleições no país, culminando nos atos golpistas do dia 8 de janeiro de 2023, em Brasília, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas.

LEIA MAIS

Adélio Bispo será submetido a tratamento psiquiátrico

Censo do IBGE aponta 49 milhões de pessoas sem acesso a rede de esgoto

O que Bolsonaro disse na Paulista?

  • Inelegível até 2030 por decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Jair Bolsonaro disse que não se pode concordar que um Poder da República “tire do palco político quem quer que seja”.
  • O ex-presidente pediu que seus aliados e apoiadores foquem nas eleições de 2024 e 2026 e afirmou que o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), apontado como seu possível sucessor, está “consagrado na política”.
  • Sem mencionar nomes, Bolsonaro afirmou que é “lamentável o abuso por parte de alguns” e disse que seus apoiadores ainda podem fazer muito “pela nossa pátria”
  • O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi citado indiretamente pelo ex-presidente. Bolsonaro exaltou os manifestantes e disse que é possível ver um time de futebol sem torcida ser campeão, mas não entender como existe um presidente sem o povo ao lado.
  • O ex-presidente afirmou, durante o ato, que sofre uma perseguição e negou liderar uma articulação golpista depois da derrota nas eleições.
  • Ele minimizou a existência da “minuta do golpe”, da qual foi o mentor, segundo a Polícia Federal. Segundo ele, estados de sítio e defesa estão previstos na Constituição e só poderiam ser acionados depois de consulta a conselhos da República e deliberação do Congresso, o que não ocorreu.
  • Ele se mostrou satisfeito com a adesão dos apoiadores e disse que a “fotografia vai rodar o mundo”.

Discurso controlado

Ao gravar um vídeo no último dia 12 para chamar os apoiadores para a manifestação, o ex-presidente disse que queria um movimento “pacífico em defesa do nosso Estado Democrático de Direito”.

- Publicidade -

Ele também pediu que os militantes não carregassem faixas ou cartazes “contra quem quer que seja”, mas apenas fossem ao local vestidos de verde e amarelo. Em atos anteriores na Paulista, durante seu governo, Bolsonaro chegou a atacar verbalmente o STF (Supremo Tribunal Federal) e seus ministros, como Alexandre de Moraes.

*Com informações da Agência Estado

LEIA TAMBÉM

Censo do IBGE aponta 49 milhões de pessoas sem acesso a rede de esgoto

- Publicidade -
Marcos André Andrade
Marcos André Andrade é formado em jornalismo pela Unesp e pós-graduado em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais pelo Senac. No Grupo EP desde 2022, é editor do Tudo EP e foi repórter do acidade on Campinas. Tem passagens pela Band Campinas, Rádio Bandeirantes de Campinas e Rádio Band News de Campinas, onde desempenhou as funções de âncora, editor, produtor e repórter.
- Publicidade -
plugins premium WordPress