- Publicidade -
CotidianoCampinas convoca reunião extraordinária após colapso do HC da Unicamp

Campinas convoca reunião extraordinária após colapso do HC da Unicamp

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), convocou uma reunião extraordinária na manhã de hoje (13) para discutir a sobrecarga do sistema de saúde do município

- Publicidade -
- Publicidade -

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), convocou uma reunião extraordinária na manhã de hoje (13) para discutir a sobrecarga do sistema de saúde do município. Foram convocados representantes do HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp, do Hospital da PUC, da Rede Mário Gatti. Isso porque ontem houve mais uma superlotação do HC, impactando em cascata o atendimento de todos os hospitais que atendem o SUS na cidade. O Hospital de Clínicas tem 30 leitos, mas ontem tinha 93 internados, uma superlotação de 210%.

Também nesta quarta-feira (13) haverá a 1ª reunião do Comitê Metropolitano da Dengue que vai discutir mutirão regional (leia mais abaixo).

Campinas convoca reunião extraordinária


A reunião desta quarta-feira está marcada para as 11h no gabinete do Prefeito, no 4º andar do Paço Municipal.

Situação crítica no HC

Devido ao quadro crítico, o HC suspendeu o atendimento de novos casos de pacientes adultos no pronto-socorro, incluindo os de resgate feitos pelo Samu (Serviço Móvel de Urgência), pelo Corpo de Bombeiros e pelo Helicóptero Águia da Polícia Militar.

Com a situação, o HC solicitou ainda que a secretaria estadual de saúde pare de enviar pacientes à Unicamp. O Palácio dos Bandeirantes o faz pela Cross (Central Estadual de Regulação de Vagas) enviando ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) ao HC. As ações foram tomadas por tempo indeterminado.

Ainda segundo o hospital, a unidade está atuando com “sobrecarga da área física, de equipamentos e de recursos humanos e materiais”.

Entre a noite de ontem e a manhã desta quarta-feira, dezenas de pessoas passaram a madrugada na fila de espera por atendimento. Vídeos encaminhados para à EPTV mostram pacientes do HC em leitos improvisados, macas nos corredores e pacientes deitados em cadeiras.

A reportagem flagrou um homem deitado no chão da sala de espera. O aposentado Murilo Ricardo é paraplégico e afirmou que procurou atendimento por conta de uma infecção de urina. Ele aguardava há 12 horas a consulta. “Passei a noite, passei pela triagem, mas nenhum médico veio atender. A situação está caótica. Não tem ninguém para responder, só tem macas”, disse.

Outras unidades


Na sequência do anúncio feito ontem pelo HC, o Hospital da PUC informou que o atendimento pelo SUS também estava acima da capacidade instalada. Nos prontos-socorros dos hospitais municipais (Mário Gatti e Ouro Verde) todos os leitos estavam ocupados.

“Diante da medida anunciada pelo Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, a Secretaria e a Rede Mário Gatti vão fazer a gestão do sistema de urgência e emergência da cidade para garantir o atendimento a todas as pessoas que precisarem”, informou a Prefeitura em nota, referindo-se ao que será decidido na reunião.

- Publicidade -

Como funciona o gerenciamento da Saúde feito pela Prefeitura?  

A Prefeitura de Campinas tem serviços próprios para atendimento de casos urgência, que são os prontos-socorros (PSs) dos três hospitais:

  • Mário Gatti,
  • Ouro Verde e
  • PUC-Campinas.
  • Além disso, conta com quatro UPAs (Unidades de Pronto Atendimento): Anchieta, Campo Grande, Carlos Lourenço e São José.

Quando ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ), a secretaria de Saúde encaminha as ambulâncias em tempo real aos hospitais e às UPAS.

O que a Prefeitura não faz é o encaminhamento de pacientes para o HC da Unicamp via Cross (Central de
Regulação de Serviço de Saúde) – que é administrada pela secretaria de Saúde estadual.


Há anos, a Prefeitura vem solicitando ao governo do estado de São Paulo a construção de um hospital metropolitano porque a cidade recebe pacientes das cidades da região metropolitana, que tem 3,1 milhões de habitantes.

1ª reunião Comitê Metropolitano da Dengue

O Comitê Metropolitano da Dengue se reúne pela primeira vez nesta quarta-feira (13) para discutir ações conjuntas para prevenção e combate à doença. O encontro ocorre às 14h, de maneira remota, e um dos assuntos em pauta é o planejamento de um mutirão em cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) neste sábado (16).


O encontro começa às 14h. O Comitê Metropolitano foi instalado em Campinas para monitoramento da epidemia, tomada de decisões, e está no pacote de ações anunciado após uma reunião entre representantes dos 20 municípios da região, em 8 de março. Durante a agenda serão apresentadas a situação epidemiológica e as ações adotadas pelos municípios para controle do Aedes aegypti, vetor da doença.

“A parceria entre os municípios é essencial para enfrentamento à epidemia. Não basta uma cidade estar engajada, é preciso empenho de todas por causa da proximidade e grande circulação de pessoas. Além disso, é importante que os moradores de todos os municípios colaborem com as ações do Poder Público e reservem dez minutos de cada semana para eliminar nas casas qualquer acúmulo de água que possa servir de criadouro”, ressaltou a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas, Andrea Von Zuben.

Devem participar da reunião os coordenadores, diretores ou responsáveis pela vigilância epidemiológica e entomológica das cidades integrantes da RMC: Americana, Artur Nogueira, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Morungaba, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara d’Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

Quer ficar ligado em tudo o que rola em Campinas? Siga o perfil do acidade on Campinas no Instagram e também no Facebook.

Receba notícias do acidade on Campinas no WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar o link aqui!

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre Campinas e região por meio do WhatsApp do acidade on Campinas: (19) 97159-8294.

LEIA TAMBÉM NO TUDO EP

Quando o programa do imposto de renda 2024 estará disponível?
Até quando vai a onda de calor? Clima muda nesta segunda


- Publicidade -
Raquel Valli
Raquel Valli
Formada em jornalismo pela PUC-Campinas em 1999, tem experiência como repórter, redatora, editora-assistente, produtora, informante e assessora de imprensa. Trabalhou para EPTV, CBN, Correio Popular, Oficina do Estudante e Prefeitura de Campinas. Foi homenageada pela Câmara Municipal com o Diploma de Mérito Jornalístico “Bráulio Mendes Nogueira “pelos relevantes serviços prestados à cidade”. É coach pela SBC e apaixonada por animais. Atualmente, é repórter no a cidade on Campinas.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Notícias Relacionadas
- Publicidade -