Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Sem chance para jovens campeões, Inter quer abrir espaço para base em 2019

| FOLHAPRESS

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - Neste sábado a partir das 17h (de Brasília), no Beira-Rio, o Internacional recebe o São Paulo em partida de ida da final do Brasileirão de Aspirantes. A boa campanha no torneio, porém, contrasta com o baixo aproveitamento de jovens no elenco do Inter. Do time campeão de 2017, nenhum teve sequência no elenco principal. E para o ano que vem, a promessa da direção é abrir novas oportunidades. O Inter bateu o Santos na final do Brasileirão de Aspirantes de 2017. O jogo de volta, na Vila Belmiro, ocorreu em 10 de dezembro e terminou 1 a 1. A equipe que jogou foi: Igor; Valdemir, Fabio Alemão, Windson e Bertotto; Jéferson, Ramon (Iago Barbosa) e Fernandinho (Mossoró); Ronald, Joanderson (André) e Álvaro. Nenhum deles teve muitas oportunidades no time principal. Atualmente, apenas Ramon, dos 14 que jogaram, costuma treinar no time de cima. Mas joga ainda pelo Sub-23. Valdemir, Alemão, Bertotto, Fernandinho, Mossoró, Ronald, Joanderson e André, por exemplo, foram embora, seja em definitivo ou por empréstimo. O processo lento de aproveitamento da base, como mostrou o UOL Esporte, desagrada alguns garotos que desistem de tentar ter oportunidade no time gaúcho. Mas o plano é mudar este quadro o quanto antes. Uma das premissas para 2019 é dar mais oportunidade de aproveitamentos aos jogadores que se destacam nos times inferiores. "Temos que investir na base. Gostaríamos de ter muito mais jogadores na base na nossa equipe. Em 2014, quando classificamos o clube para Libertadores, tínhamos jogadores assim no profissional, como Alisson, William, Rodrigo Dourado, Valdívia... E quando voltamos ao clube no ano passado, não tinha essa fartura de jogadores em condições de jogar. Estamos trabalhando alguns meninos da base, é fundamental para o clube, e identificamos esta dificuldade", disse o vice de futebol Roberto Melo. O Internacional, inclusive, contratou a empresa Double Pass, de sucesso na Europa, para auxiliar nos processos de formação de jogadores. "Temos feito movimentos para melhorar nossa captação, contratamos a Double Pass, precisamos melhorar esta transição da base para o profissional. A saída da base (que treina no CT de Alvorada, na região metropolitana), nos prejudicou muito. Mas é a nossa realidade. Temos ferramentas para chegada de jogadores, o Inter sempre revelou muitos atletas. O que mais gostamos é lançar meninos, e no ano que vem a base será fundamental para nossa campanha. Vamos e estamos dando esta atenção", completou o dirigente. O Inter, inclusive, realiza um estudo para trazer os últimos times de base para treinar no CT Parque Gigante. Mas não há espaço físico no momento para construção de novos campos. E não bastará observar bem os jogadores mais jovens. A ideia é dar oportunidade de jogo a todos eles a partir do Campeonato Gaúcho, já que as atenções do principal estarão voltadas para a Libertadores. "Vamos subir alguns meninos para jogar o Gauchão, unir ao grupo, trabalhar estes times igualmente em ideia de jogo, observar com calma. A quantidade é difícil de falar, mas a qualidade dos jovens que temos já estamos mapeando", explicou o treinador. Ao menos três meninos do Sub-23 atual devem se unir ao elenco principal no ano que vem. São eles: Sarrafiore, Richard e Ramon. Ainda estão sob análise as situações de Bruno Fuchs e Nonato. José Aldo, Bruno José, Pedro Lucas, Álvaro e Iago Barbosa correm por fora.

Veja também