Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Fluminense e Ceará empatam no Maracanã e continuam ameaçados

| FOLHAPRESS

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Em jogo-chave na luta contra a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, Fluminense e Ceará empataram sem gols, nesta segunda-feira (19), no Maracanã. O resultado não foi bom para nenhuma das equipes, que seguem preocupadas com a proximidade do grupo dos quatro últimos colocados. Com o resultado, os cariocas pularam para 42 pontos (a cinco do América-MG, clube que abre o Z-4) e caíram para a 13ª colocação. Os alvinegros atingiram 39 pontos e estão um posto abaixo do Fluminense. Disputado sob chuva durante todo o tempo, o jogo não foi um bom espetáculo, embora os times tenham tentado superar suas próprias limitações em busca da vitória. Após o jogo no Maracanã, o Fluminense volta a campo na quinta-feira, quando enfrenta o Bahia, às 21h, na Fonte Nova. No mesmo dia e horário, os cearenses recebem o Paraná no Castelão. O técnico Marcelo Oliveira mandou a campo uma equipe montada com apenas dois zagueiros, em vez da tradicional trinca. A equipe tomou a iniciativa desde o primeiro minuto e foi quem ditou o ritmo do jogo na primeira metade. Participativo pelo lado esquerdo, Ayrton Lucas foi uma boa válvula de escape pelos lados. Já o Ceará entrou um tanto quando disperso na partida e quase viu o Flu fazer valer o seu predomínio inicial. Em bonita jogada individual, Everaldo arrancou do campo do Flu e bateu com muito perigo. Em outra boa jogada individual, Ayrton Lucas também assustou Éverson. Em uma rara escapada, Samuel Xavier bateu cruzado e a bola passou rente à trave. Apesar do susto, os tricolores seguiram em cima do adversário, mas faltou capricho na hora de concluir no gol adversário. Não fosse Júlio César, os visitantes teriam inaugurado o placar na etapa inicial. Após cobrança de falta de Juninho, o goleiro do Flu voou no ângulo e fez linda defesa. Na sobra, a bola pingou na área tricolor, mas a defesa conseguiu afastar o perigo. Em busca de mais velocidade e aproximação ao ataque, o técnico Marcelo Oliveira trocou Cabezas por Marcelo Alessandro. A tentativa, contudo, não surtiu o efeito desejado e o Flu seguiu com dificuldades para criar chances mais limpas de gol. O Ceará encontrou mais espaços no meio, marcou mais presença no campo rival e esteve muito perto de abrir a contagem após chute muito perigoso de Juninho. Com o campo pesado, as equipes sentiram o cansaço e o ritmo caiu demais no Maracanã, ainda que o Alvinegro tenha sido uma equipe mais organizada e perigosa na etapa final. Para sorte dos mandantes, o Ceará não acertou o pé na hora que teve a bola para contra-atacar e o placar seguiu zerado até o fim. FLUMINENSE Júlio César; Igor Julião, Gum, Digão, Ayrton Lucas; Richard, Airton, Sornoza (Macula); Cabezas (Matheus Alessandro), Everaldo (Marcos Jr.), Luciano. T.: Marcelo Oliveira CEARÁ Éverson; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio, Felipe Jonatan; Juninho, Richardson, Calyson (Ricardinho); Felipe Azevedo, Ricardo Bueno (Arthur), Leandro Carvalho (Eder Luis). T.: Lisca Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro Juiz: Anderson Daronco (RS) Cartões amarelos: Richardson, Samuel Xavier, Felipe Azevedo (Ceará); Ayrton Lucas, Macula, Airton, Richard (Fluminense)

Veja também