Publicidade

onrun

Adriana Silva e sua trajetória de superação até as Olimpíadas

A atleta Adriana Aparecida Silva participou de duas Olimpíadas e é, até hoje, recordista brasileira na Maratona de Tóquio

| Especial para o ON Run -

 

 

Adriana Silva conta sua trajetória até as olimpíadas. Crédito: @gettyimagem @budamendes

 

Em diversos casos, o esporte tem um grande impacto social na vida dos atletas. Muitas oportunidades surgem por conta dele, como a história que vamos contar agora:
 


Adriana Aparecida da Silva

Natural do Cruzeiro, Vale do Paraíba, Adriana começou no atletismo aos 12 anos de idade, em uma corrida de 5km, em que foi a primeira colocada. A partir deste momento ela conheceu, de fato, o Atletismo e contou com o suporte da Equipe Papa-léguas para começar a participar de outras corridas.
Em sua segunda corrida, ela ficou, novamente, em primeiro lugar e recebeu 50 reais como premiação.

"Cheguei em casa e levei minha mãe para o supermercado. Foi a primeira vez que fizemos uma compra de supermercado. Minha mãe era separada do meu pai e tinha quatro filhos que cuidava sozinha. Por isso, passamos muita necessidade. Então, foi a primeira vez que fizemos uma compra de supermercado e não faltou nada", conta Silva, relembrando que foi a partir disso que decidiu seguir no atletismo.

Adriana tem 26 anos de atletismo e, desde então, sempre que entrava nas competições pensava na premiação e em dar uma vida melhor para sua família.

Em 2004, ficou em terceiro lugar na São Silvestre, o que lhe possibilitou realizar o sonho da casa própria ao comprar uma casa para sua mãe.

Adriana no início da carreira em Cruzeiro - SP Crédito: arquivo pessoal

 

Momentos de dificuldade, superação e recordes


Entretanto, em 2005, ela se lesionou e precisou parar de competir.
Passou por cirurgias, perdeu patrocínios, entrou em depressão e estava decidida a parar de correr, até encontrar o treinador Cláudio Castilho, que a convidou para voltar a treinar e a correr.

Assim, a atleta superou as dificuldades. Começou a competir novamente, estreou na maratona em 2009 e, ao vencer a Maratona de Floripa, obteve o índice para participar das Olimpíadas de Berlim. "Foi aí que novas oportunidades surgiram e eu cheguei tão longe", conta ela.

Adriana Aparecida da Silva é bicampeã Pan-Americana, foi recordista dos Jogos Pan-Americanos em 2011 e 2015 e foi recordista brasileira na Maratona de Tóquio, em 2012 quando conseguiu a vaga para os Jogos Olímpicos de Londres-2012.

Foi nessa época, também, que ela bateu o recorde sul-americano e brasileiro. "Ano que vem fará 10 anos que possuo este recorde brasileiro, pois o sul-americano já foi batido por atletas peruanas", relatou a atleta, que também participou das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Com persistência, foco e dedicação, Adriana Silva deixou sua marca na história do atletismo brasileiro.


Fica aqui o nosso respeito e agradecimento a Adriana Aparecida da Silva, por tudo que fez pelo atletismo brasileiro e por ter inspirado tantos atletas

Mais notícias


Publicidade