Aguarde...

cotidiano

Gaema cobra posição do Daerp sobre falta d'água em Ribeirão

Promotora indica canal de reclamações e pede para que os moradores denunciem casos que durem mais de 48h; Veja os telefones

| ACidadeON/Ribeirao

Torneira seca: promotora cobra o Daerp (Foto: Arquivo ACidade ON)
 
Uma reunião entre representantes do Daerp (Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto) e do Gaema (Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo), realizada nesta quinta-feira (10), em Ribeirão Preto, discutiu o problema da falta d'água na cidade. O Gaema reforçou a multa de até R$ 500 mil que pode ser aplicada em casos de desabastecimento crônico. 
 
De acordo com a promotora Cláudia Habbib, uma ação ajuizada em 2014 obriga a autarquia a resolver o problema das "torneiras secas" em até 48h, contadas a partir da primeira reclamação. Do contrário, o município pode ser penalizado em meio milhão de reais por dia de descumprimento. 
 
"No início da pandemia, também pedimos para eu o fornecimento de água fosse ininterrupto em todos os bairros, já que a higiene das mãos é um dos principais meios de combate ao novo coronavírus. Solicitamos, ainda, que o percentual de cloro fosse adequado em junho deste ano", conta. 
 
Questionada sobre as denúncias feitas ao ACidade ON, principalmente nas zonas Leste e Sul. Tem morador que afirma estar há mais de 22 dias sem água. A promotora do Gaema pediu para que as pessoas relatem esses problemas oficialmente à promotoria.

"Nós ficamos sabendo desses casos no início da semana pela imprensa. Não recebemos nenhum comunicado da população. E, justamente por isso, marcamos a reunião. O Daerp diz que as intercorrências são pontuais e tem cumprido o prazo estabelecido", completa Cláudia. 

Por isso, a orientação é que os moradores registrem suas denúncias no Daerp e também no Gaema (telefone 16 3995 1453) ou na Promotoria do Consumidor (telefone 16 3629 5646). Dessa forma, situações não resolvidas em até 48h, mesmo que seja com o envio de um caminhão pipa, poderão ser cobradas pela promotoria, com base na ação ajuizada. 


LEIA MAIS
Falta d'água já se arrasta por 22 dias no Jardim Paulista 

Após queixas, Daerp prevê reparos nas zonas Leste e Sul  

Em Ribeirão, Jardim Sumaré sofre com falta d'água há 4 dias  

Veja os bairros que devem sofrer com falta d'água nesta segunda  
 

Outro lado 

Segundo o Daerp, a reunião desta quinta foi para "discutir o abastecimento de Ribeirão Preto". "O Daerp trabalha em toda a cidade, de acordo com a demanda de solicitações, que são feitas pelo telefone 115, sem privilegiar nenhuma região. As intermitências que ocorrem são pontuais e temporárias, em função manutenções, falta de energia elétrica em poços, rompimentos de redes, juntamente com o consumo elevado que ocorre em função do tempo quente e seco, agravado pela existência de poeira em excesso e fuligem de queimadas", garantiu a autarquia. 

"O Daerp toma conhecimento de intermitências por registros através do telefone 115. É importante o usuário fazer o registro, porque o Daerp precisa saber os locais exatos para atender. Também pelo 115 é possível solicitar caminhão-pipa. As soluções dependem de cada situação", seguiu o Daerp. 

"Com relação ao Jardim Sumaré, o Daerp trocou trechos de redes que estavam obstruídas nas ruas Cerqueira César e Cairu. Uma das manutenções foi realizada nesta quinta-feira, dia 10, e o abastecimento está em normalização. No Jardim Paulista os técnicos do Daerp ainda trabalham para determinar o que está ocorrendo, mas a maior parte dos locais já está abastecida", finalizou o Daerp



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON