Publicidade

cotidiano

Picada de escorpião: saiba como se prevenir e onde buscar socorro

Além de crianças menores de dez anos, idosos também são mais vulneráveis aos ataques; Ribeirão registrou segundo caso em criança em uma semana

| ACidadeON/Ribeirao -

Escorpiões costumam aparecer com maior incidência no calor (Foto: Divulgação / Rede social
 

A Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto divulgou os cuidados necessários a fim de evitar acidentes com  escorpiões.  

Ribeirão registrou neste sábado (18) o segundo caso de picada por escorpião em criança em um período de uma semana.   

LEIA MAIS - Outra criança picada por escorpião é internada no HC de Ribeirão

No dia 31 de agosto, um menino de 4 anos morreu por complicações causadas pela picada. Em julho, a vítima foi uma menina de 3 anos.   

Além de crianças abaixo de dez anos, os idosos também são mais vulneráveis aos ataques.

CONFIRA AS ORIENTAÇÕES: 

 - Para evitar a entrada dos animais em casas e apartamentos, a recomendação é usar telas em ralos de chão, pias e tanques, além de vedar as frestas nas paredes e colocar soleiras nas portas. Outra medida é afastar as camas e berços das paredes, e ainda vistoriar as roupas e calçados antes de usá-los;

 - Manter jardins e quintais limpos, evitar o acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico e materiais de construção nas proximidades das casas, evitar folhagens densas (plantas ornamentais, trepadeiras, arbusto, bananeiras e outras) junto a paredes e muros das casas, manter a grama sempre aparada, limpar periodicamente os terrenos baldios vizinhos, pelo menos, a uma faixa de um a dois metros junto às casas;

 - Evitar o acúmulo de detritos e entulhos no terreno, principalmente aqueles que possam atrair baratas e servir de abrigo para o escorpião;

 - Sacudir roupas e sapatos antes de usá-los, pois aranhas e escorpiões podem se esconder neles e picam ao serem comprimidos contra o corpo;

 -  Não se deve pôr as mãos em buracos, sob pedras e troncos podres, e é preciso usar calçados e luvas de raspas de couro para atividades em que seja preciso colocar a mão e pisar em buracos, entulhos e pedras;

- Para evitar a entrada de escorpiões nas casas durante a noite, deve-se vedar as soleiras das portas e janelas quando começar a escurecer;

 - Usar telas em ralos do chão, pias ou tanques; vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos e vãos entre o forro e as paredes; consertar rodapés despregados; colocar saquinhos de areia nas portas; colocar telas nas janelas; evitar que roupas de cama e mosquiteiros encostem no chão; não pendurar roupas nas paredes;  

 - Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes que possam ser fechados, para evitar baratas, moscas ou outros insetos que servem de alimento para os escorpiões;  

 - Preservar os inimigos naturais de escorpiões e aranhas, como aves de hábitos noturnos (coruja, joãobobo), lagartos, lagartixas e sapos. 

PRIMEIROS SOCORROS:

- Limpar o local com água e sabão;

- Aplicar compressa morna no local;

- Procurar o serviço de saúde mais próximo para que possa - receber tratamento o mais rápido possível;

- Se for possível (com segurança e desde que não leve muito tempo, pois a prioridade é o atendimento médico urgente), capturar o animal e levá-lo ao serviço de saúde.

O QUE ESTÁ VETADO:

- Não fazer torniquete ou garrote, não furar, não cortar, não queimar, não espremer o local da picada;

- Não fazer sucção no local do ferimento;

- Não aplicar qualquer substância sobre o local da picada (fezes, álcool, querosene, fumo, ervas, urina, pó de café, terra) nem fazer curativos que fechem o local, pois isso pode favorecer a ocorrência de infecções;

 - Não ingerir bebida alcoólica, álcool, querosene, gasolina ou fumo no intuito de parar a dor, pois além de não agir contra o veneno, ainda poderá causar complicações no quadro clínico;

 - Não colocar gelo ou água fria no local da picada, pois acentua a dor; 

ONDE PROCURAR AJUDA EM CASO DE PICADA POR ESCORPIÃO:

Deve-se procurar o mais rápido o serviço de saúde mais próximo, de preferência as UPAs (Unidade de Pronto Atendimento), Pronto-socorro ou hospital.

Para outras informações ente em contato com os seguintes órgãos:

Divisão de Vigilância Ambiental em Saúde

Local: Avenida Eduardo Andrea Matarazzo (Via Norte), 4.255

Fone: (16) 3626-9535

E-mail: dcvap@saude.pmrp.com.br

***

Divisão de Vigilância Epidemiológica

Rua Prudente de Morais, 457

Fone: (16) 3977-9357

E-mail: dve@saude.pmrp.com.br

Mais notícias


Publicidade