Publicidade

cotidiano

Terremoto na Argentina pode ter causado tremor em Ribeirão, diz USP

Centro de Sismologia da universidade recebeu denúncia na noite desta terça; Em março, moradores já haviam relatado tremor em Ribeirão Preto

| ACidadeON/Ribeirao -

Parque Curupira, em Ribeirão Preto (Foto: Marcelo Fontes / acidade on)
*Notícia atualizada às 18h17 


O terremoto de magnitude 6,8 que atingiu o Norte da Argentina, na noite desta terça-feira (10), pode ter causado tremor em Ribeirão Preto, informou o Centro de Sismologia da USP (Universidade de São Paulo).

A plataforma virtual "Sentiu Aí", desenvolvida pelo núcleo, indica reporte de tremor na cidade às 20h10, logo depois do abalo no país vizinho (veja abaixo). 
 
VEJA TAMBÉM: Mulher morre minutos depois de ter alta da UPA em Ribeirão Preto

Na ferramenta, qualquer pessoa pode relatar abalos sísmicos. Mais usuários também indicaram tremores em outras regiões do Estado, incluindo a Capital.

"Sismos fortes e profundos costumam colocar prédios altos em oscilação ressonante, por isso que a maioria dos relatos em SP vêm de pessoas que estavam em andares mais altos", disse o departamento em um comunicado oficial.

No caso de Ribeirão, o internauta não se identificou e disse que a intensidade do tremor foi leve. Ainda segundo a USP, esta não seria a primeira vez que um terremoto com magnitude significativa em um país vizinho pode ter sido sentido no Brasil.

"Desde 1941 há histórico desse tipo de fenômeno. Nunca houve nenhum relato de dano no Brasil causado por tremores com epicentro em países vizinhos", explicou. 
 
Procurada, a Defesa Civil disse que não recebeu nenhuma notificação sobre o caso.

Abalo

O terremoto foi registrado a uma profundidade de 176 quilômetros na região de Jujuy, por volta das 20h, em área próxima à fronteira com o Chile e a Bolívia.

O Serviço Geológico do Estados Unidos garantiu que o tremor pôde ser sentido no Brasil.

Recentemente

Em 22 de março, moradores relataram estrondo seguido de tremor em diversas regiões de Ribeirão Preto. Na ocasião, a universidade informou que o tremor pode ter sido fraco a ponto de não ser registrado.  
 
 
Tremor foi registrado em plataforma virtual (Imagem: Divulgação)

Mais notícias


Publicidade