Publicidade

cotidiano

Seu dinheiro: Como ficar rico em apenas um texto

Ter um plano de investimentos é essencial para não sermos capturados pelos nossos próprios desejos e comportamentos

| ACidadeON/Ribeirao -

Eliseu Hernandez D
Eliseu Hernandez D'Oliveira, líder de Gestão de Risco da Oby Capital (Foto: Weber Sian / ACidade ON
Se o título chamou sua atenção e te levou a querer ler o texto, ótimo! Leia até o final. Porém, já adianto: não tem fórmula mágica. São apenas princípios para montar um plano de investimento. O segredo está em seguir esse plano após montado. Vai exigir disciplina, dedicação, paciência e tempo de vida (muito tempo de vida).

Ter um plano de investimentos é essencial para não sermos capturados pelos nossos próprios desejos e comportamentos, além de evitar que ruídos diários de mercado afetem nossas decisões. Ele precisa ser estruturado de forma a resistir a mudanças inesperadas, bem como ser flexível para rebalanceamentos necessários.

O primeiro princípio é ser objetivo. O plano precisa, necessariamente, ser factível ao considerar limites pessoais, o retorno dos investimentos e o quanto podemos poupar da nossa renda. Não almejar retornos extraordinários evita armadilhas (como pirâmides financeiras). Assim como querer poupar de mais pode ser irreal ou muito sacrificial.

O que nos leva para o próximo princípio: equilíbrio. Esse princípio se divide em duas partes. A primeira refere-se à importância tanto do hoje quanto do amanhã. Menosprezar nosso presente e/ou nosso futuro pode ser perigoso. Precisamos viver o hoje, mas sem esquecer que o decorrer do tempo é uma certeza. Recomendo muito a leitura do livro "Valor do Amanhã", do filósofo e economista Eduardo Giannetti.

A segunda parte é relacionada à alocação dos nossos investimentos. É mais importante definir o quanto do seu patrimônio irá para cada classe de ativo do que o ativo em si. Podemos querer comprar ações da Petrobrás, mas é melhor não fazer isso sem antes definir se é 5% ou 50%, por exemplo, que irá para classe de ativos ações. Pense no portfólio como uma pizza. Tem a fatia da renda fixa, das ações, dos fundos imobiliários, dos fundos multimercados, das criptomoedas, etc... Fuja da bola da vez e pense em equilibrar de acordo com seu perfil de risco.

O terceiro princípio é o custo. Ter um portfólio muito diversificado e com rebalanceamentos frequentes pode sair caro e comer a rentabilidade. É preciso ficar de olho em três principais custos:

- O custo de corretagem: porém hoje tem muita corretora que oferece corretagem 0.
- O custo de imposto de renda: pois, toda vez que ocorre uma venda com lucro (com exceção dos isentos) ocorre pagamento de IR. Esse imposto, uma vez pago, deixa de render e pode ter impacto grande no resultado final se o giro da carteira de investimentos for muito alto.
- Por fim, as taxas de administração e performance: escolha com inteligência os fundos de investimentos e procure entender o que são ETFs.

O quarto e último princípio é o da disciplina. Talvez o princípio mais difícil de ser aplicado. Pois ele entra no quanto poupar da nossa renda todos meses por 10, 15, 30 anos. Além da parte de ser fiel às proporções por classe de ativos que foram definidos durante a montagem da estratégia, mesmo quando uma parte do patrimônio esteja "derretendo".

Por exemplo, imagine que foi alocado 20% em ações. Essa parte rendeu -10% em um mês, e o restante rendeu positivo. Com a ideia de seguir a estratégia, compramos mais ações com o valor poupado do mês e a proporção volta pra 20%. Cai novamente 10%. A tentação é grande de não comprar mais pois tem uma guerra acontecendo. Entretanto, dificilmente você vai acertar o momento certo de voltar a comprar (nem gestores profissionais conseguem) e vai perder a oportunidade de ter comprado mais a preços mais atrativos. Por isso, a disciplina aqui é essencial.

Esse plano de investimentos serve como um GPS do patrimônio. Toda vez que houver desvios do caminho, ele nos diz qual rota seguir para chegar ao objetivo. Eventualmente (uma vez por ano) será necessário recalibrar o objetivo e reajustar as proporções, porém, a rota estará lá.

Se a busca de enriquecimento rápido é um objetivo, está cheio de perfis em redes sociais prometendo isso. Mas, é importante ser cético com algo que pareça ser bom demais para ser verdade.

Por outro lado, aprender a montar um plano de investimento pode mudar sua história de vida e da sua família (inclusive dos herdeiros).

Publicidade