Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

docon

A importância do conhecimento financeiro na hora de investir

Sente a necessidade de mudança e deseja multiplicar esse patrimônio, mas parece assustador esse amplo mercado do mundo das finanças?

| ACidadeON/Ribeirao

Eliseu Hernandez D'Oliveira, assessor de investimento da Blue Trade (Foto: Weber Sian / ACidade ON
Você tem a impressão de que todos, menos você, sabem investir? Você sabe que precisa entender mais sobre o assunto pois, provavelmente, seus recursos estão na pouco rentável caderneta de poupança. Sente a necessidade de mudança e deseja multiplicar esse patrimônio, mas parece assustador esse amplo mercado do mundo das finanças? Não tem ideia de onde começar, em quem pode confiar, afinal são tantas as informações disponíveis e figuras que se dizem entendidas no assunto. Atualmente, há mais informações do que nunca sobre finanças pessoais e todos os tópicos de investimentos imagináveis. Está em toda parte. De jornais a conversas de bar, de blogs a canais do YouTube especializados no assunto, de especialistas a leigos.

Primeiramente a "boa" notícia é que você não está tão sozinho assim no desconhecimento sobre investimentos financeiros. De acordo com pesquisa anual da ANBIMA, Raio-X do Investidor, em 2018, apenas 8% dos brasileiros aplicaram em produtos financeiros. O levantamento mostra que 54% dos entrevistados não souberam citar espontaneamente nem mesmo um produto de investimento e quando estimulados, a despeito de citarem em média sete, 53% das pessoas não fizeram nenhum tipo de investimento financeiro. Dos que fizeram, 88% foi na caderneta de poupança que hoje em dia perde para a inflação, o que significa perder dinheiro.

A principal causa apontada pela pesquisa para os brasileiros não investirem é a condição financeira: 63% daqueles que responderam a pesquisa alegaram falta de dinheiro, mas ao mesmo tempo 76% disseram que é necessário um valor mínimo para investir, quando na verdade não existe esse valor mínimo. Portanto pode se dizer que é justamente a falta de conhecimento sobre as características dos ativos financeiros que impede novas aplicações de serem feitas.

A pesquisa também aponta que apenas 6% dos entrevistados demonstraram desinteresse em investir. Não é por acaso que perfis em redes sociais com o tema investimento possuem milhões de seguidores. Existe um desejo grande por conhecimento sobre finanças. Desejo esse, não apenas por saber mais sobre as diversas alternativas de aplicações financeiras possíveis, mas também por como administrar a própria vida financeira da melhor maneira possível.

Uma diferenciação tem que ser feita: guardar recursos é diferente de investir. O primeiro é apenas postergação de consumo, enquanto o segundo tem o objetivo de enriquecimento - o famoso fazer o dinheiro trabalhar por você. Clichês à parte, o fato é que quanto mais conhecimento sobre o assunto você tiver, mais confiança, discernimento e sabedoria terá para buscar melhores e mais rentáveis alternativas.

No meio de tanta informação, existem as lorotas, os marqueteiros e os enganadores com rentabilidades irreais garantidas, mas existem as pessoas e instituições sérias. Uma forma de adquirir conhecimento, que é demonstrada pela pesquisa e que agrada bastante o brasileiro, é buscar um profissional da área que ajude na coleta de informações e na tomada de decisão dos investidores. O portal Como Investir da ANBIMA, B3 Educação ou investimentosblue.com.br são excelentes sites para quem quer dar o pontapé inicial em sua educação financeira.
 
 
*Eliseu Hernandez D'Oliveira é assessor de investimento da Blue Trade, formado em economia pelo Instituto Insper e mestre em economia pela Universidade de Brasília

Mais do ACidade ON