Thiago Paulino estreia no Mundial de Londres

Aos 31 anos, atleta de Sertãozinho está focado em chegar aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Correa Jr
Milena Aurea / A Cidade
Thiago Paulino luta por bons resultados no Mundial de Londres (Foto: Milena Aurea/A Cidade)

 

Recordista mundial de lançamento de disco, o paratleta de Orlândia Thiago Paulino, 31 anos, estreia nesta sexta-feira (14) no Campeonato Mundial de Atletismo, que será disputado até o próximo 23, em Londres, na Inglaterra. Será a primeira participação de Paulino em competições no ciclo olímpico para os jogos de Tóquio 2020. Ele é um dos 25 paratletas que representarão o País na competição.

Paulino disputará o Mundial pela segunda vez. Em 2015 defendeu a seleção em Doha, no Catar, e foi o sétimo colocado no arremesso de peso.

“Estou mais tranquilo. Em Doha, teve a questão dos árbitros. Senti bastante a diferença da arbitragem internacional para a brasileira, os critérios são totalmente diferentes, os lançamentos são invalidados com facilidade... Agora, tenho mais chances de brigar pelo pódio”, analisa Paulino.

O paratleta teve de amputar a perna esquerda abaixo do joelho devido a um acidente de moto, em 2010. Inspirado no atleta paralímpico Marco Aurélio Borges, começou a praticar atletismo. “Não tinha mais perspectiva de nada quando sofri meu acidente de moto. Já não poderia mais trabalhar, pois tinha perdido a perna. Mas o atletismo me deu uma nova chance. Ainda dentro do hospital, um outro atleta me apresentou o esporte, e ele se tornou a minha válvula de escape. Desde que fui à minha primeira competição, vi que a lesão que tinha era mínima e que não me impediria de fazer o que eu quisesse”, relembra Paulino.


Tradição de medalhas

O Brasil é uma das forças mundiais no atletismo paralímpico. Nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, o atletismo foi a modalidade que mais rendeu medalhas ao País: 33, sendo oito de ouro. Na edição passada do Mundial, em Doha, os brasileiros subiram ao pódio 35 vezes. Também oito vezes no lugar mais alto.

Dos 25 atletas convocados, 11 têm menos de 25 anos – e nove vão estrear em um Campeonato Mundial. “O meu primeiro objetivo é ganhar esse Mundial e, depois, pensar nas Paralimpíadas de Tóquio que é o meu maior objetivo”, disse Paulino.

O paratleta de Orlândia garantiu vaga para o Mundial de Londres no Open Internacional de Atletismo, disputado em abril deste ano em São Paulo. O lançador registrou a marca de 48,04m - melhor do que o antigo recorde, que pertencia a ele mesmo, de 47,68m. Como consequência, ele ainda atingiu o índice.

“Trabalhei bastante para este resultado. Fiquei um pouco frustrado por não conseguir uma medalha na Rio 2016, mas já comecei logo em seguida a preparação para o lançamento de disco”, afirma Paulino.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.