Fabiana Cozza homenageia precursores do samba em show

Há 18 anos se dedicando ao samba, cantora se apresenta no Sesc de Ribeirão Preto nesta quinta-feira (16)

    • ACidadeON/Ribeirao
    • Da reportagem

 

“Aprendi bater samba ao compasso do meu coração. Aprendi cantar samba com quem dele fez profissão”. É com músicas autorais (são os versos de ‘O Samba É Meu Dom’) e clássicas que Fabiana Cozza celebra o gênero musical em show na noite desta quinta-feira (16) no palco do Sesc Ribeirão.

Há 18 anos a cantora se dedica ao samba, e hoje homenageia os intérpretes e os instrumentistas que mantêm sua essência viva. “Fui apresentada ao samba ainda criança pelo meu pai, Oswaldo dos Santos, ex-intérprete da escola de samba Camisa Verde e Branco. Em casa, o gênero sempre foi festejado. Cresci em meio a rodas na casa de minha avó”, conta.

Desde o início da carreira a cantora junta a música ao teatro e à dança, levando aos palcos um verdadeiro espetáculo. “Não entendo o meu caminho de intérprete sem o teatro e a dança. Muito do que aprendi e aprendo sobre expressões, cena, texto e corpo estão atreladas a estas duas linguagens”.

Com cinco álbuns gravados e dois DVDs lançados, Fabiana já dividiu o palco com grandes nomes da música brasileira, como Elza Soares e Dona Ivone Lara – “apresentações inesquecíveis”, segundo ela. No show, a banda formada por Douglas Alonso, Henrique Araújo, Everson Pessoa, Nino Miau e Gersinho acompanha a cantora.

Assim, viajando na linha do tempo do samba e apresentando clássicos que costuram o enredo do show, “Deixa a Roda Girar” mostra leituras de grandes poetas que se dedicaram ao samba, e marca o público pela identidade única que só o estilo musical tem.

Kriz Knack / Divulgação
Fabiana Cozza se apresenta nesta quinta-feira (16) no Sesc de Ribeirão Preto (Foto: Kriz Knack / Divulgação)

 

Cantora já lançou cinco discos

A paulistana Fabiana Cozza é considerada uma das mais importantes intérpretes da música brasileira contemporânea. Gravou o primeiro CD em 2005, intitulado “O Samba É Meu Dom”, seguido por “Quando o Céu Clarear” (2007), “Fabiana Cozza” (2011), “Canto Sagrado – Uma Homenagem a Clara Nunes” (2013) e “Partir” (2015). Com voz marcante, ganhou diversos prêmios do cenário musical brasileiro, incluindo o de ‘Melhor Cantora de Samba’, no Prêmio de Música Brasileira, em sua 23ª edição. A cantora que tem o samba no sangue já passou por vários países e festivais, dando visibilidade ao gênero e à artista em si, que se inspira em Elizeth Cardoso, Nana Caymmi e Maria Bethânia. (Colaboração: Giovanna Romero)

Serviço
‘Deixa a Roda Girar’ - Fabiana Cozza
QUANDO: Quinta-feira (16), às 20h30
ONDE: Sesc Ribeirão (rua Tibiriçá, 50), no Galpão
QUANTO: de R$ 5 a R$ 17
INF.: (16) 3977-4477


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.