Aguarde...

Política

Ribeirão Preto já tem 1,6 mil casos de dengue em 2020

Nesta quinta-feira (13), o secretário da Saúde de Ribeirão Preto, Sandro Scarpelini, participou de reunião de comissão de Saúde na Câmara Municipal

| ACidadeON/Ribeirao

O secretário Sandro Scarpelini participou de reunião da comissão de Saúde, nesta quinta (13) (Foto: Vinicius Alves/CBN Ribeirão Preto)
 
Ribeirão Preto tem 1.650 casos de dengue em 2020, de acordo com o secretário da Saúde Scarpelini. Nesta quinta-feira (13), Scarpelini participou de reunião da comissão permanente de Saúde, na Câmara Municipal.  

Na comissão, Scarpelini foi questionado sobre as mortes de crianças diagnosticadas com dengue na cidade e quais os procedimentos que têm sido adotados pela rede municipal de saúde para o tratamento das pessoas doentes.  

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE RIBEIRÃO PRETO
 
De acordo com o secretário, apenas em fevereiro foram 1.186 notificações de pessoas com suspeita de dengue. Desses, já foram confirmados 174 casos nos 10 primeiros dias do mês (período que conta com os números atualizados).  

Segundo a secretaria, Ribeirão Preto se encontra em nível 2 de alerta para os casos registrados de dengue. Esse nível é o anterior da epidemia. Por isso, a prefeitura estuda designar uma unidade de saúde como "polo dengue", como o que já foi realizado em 2016, quando foram registrados mais de 35 mil casos da doença na cidade.  

O secretário disse que o tema "polo dengue" foi discutido em uma reunião com membros da secretaria na última quarta-feira (12), e que agora, aguarda parecer técnico para decidir se a medida deverá ser efetivada.  

O "polo dengue" funcionaria como uma unidade de saúde já existente, que serviria como um local de atendimento de retaguarda, no qual os pacientes com suspeita de estarem contaminados com a doença deverão ser encaminhados após o atendimento em unidades básicas de saúde e unidades de pronto atendimento.  

Além disso, o secretário Sandro Scarpelini afirmou que as unidades de saúde do município deverão atender com prioridade, em uma fila especial, os pacientes com suspeita de dengue.  

Morte de crianças
 
Sandro Scarpelini foi questionado sobre a morte de duas crianças diagnosticadas com dengue, após passarem por atendimentos em unidades de saúde do município.  

De acordo com ele, foram seguidos os protocolos definidos pelo ministério da Saúde, contudo, segundo o chefe da pasta, as crianças têm apresentados sintomas diferentes com os apontados como "clássicos" para a doença.  

"A gente segue os protocolos do ministério, mas podemos mudar esse protocolo", disse Scarpelini. "Os casos estão vindo de maneira diferente, não de maneira clássica", pontua.  
 
Leia mais: 
Família de menina morta reclama de negligência na UPA
 
 
Ribeirão tem 521 pontos cadastrados como criadouros do Aedes
 
 
Atendimento a criança que morreu com dengue será investigado 
 
Criança de 10 anos com dengue morre em Ribeirão Preto
 
 
Ribeirão tem o maior número de casos de dengue desde 2016


Mais do ACidade ON