Aguarde...

ACidadeON Ribeirão Preto

Ribeirão Preto
mín. 20ºC máx. 36ºC

Especial Publicitário

Oportunidades para engenheiros, arquitetos e agrônomos

Convênios, palestras com profissionais de carreira reconhecida no Brasil e no exterior, oportunidade de ampliar a rede de networking e abrir novas portas

Divulgação

 

Cerca de 70% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional é formado por atividades ligadas diretamente às engenharias, à arquitetura e à agronomia. Construção civil, infraestrutura, planejamento, agroindústria, agricultura familiar, todas essas atividades não podem prescindir de profissionais desses setores.  

"O tamanho da responsabilidade que temos como profissionais perante a sociedade é proporcional ao compromisso que temos de mostrar aos jovens profissionais as oportunidades de um mercado que é cada vez mais exigente e complexo", fala o engenheiro Carlos Alencastre, presidente da Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto (AEAARP).  

Em 2018, a Associação recebeu mais de 1.000 estudantes e profissionais nas semanas técnicas que trataram de temas ligados à tecnologia da construção, meio ambiente, engenharia, arquitetura e agronomia.  



Os eventos contaram com a presença de profissionais reconhecidos em todo o país, como Catão Francisco Ribeiro, autor do projeto da ponte estaiada Otávio Frias Filho, na capital Paulista, do engenheiro agrônomo Alexandre de Sene de Pinto, pioneiro em estudos sobre controle biológico na lavoura, do arquiteto e urbanista Vinicius Hernandes de Andrade, autor de projetos importantes de habitação de interesse social e de Alexandre Carlos Brandão Ramos, engenheiro aeronáutico que mostrou como as universidades brasileiras desenvolvem tecnologia para Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARPs).   

Todas as palestras das semanas técnicas da AEAARP foram transmitidas ao vivo pelo Facebook e estão disponíveis na biblioteca de vídeos da página da associação.
 

O engenheiro Paulo Sinelli, coordenador técnico da 11ª Semana de Engenharia, afirma que cabe à entidade mostrar as oportunidades que o mercado oferece. "Na automação predial, por exemplo, a oportunidade de mercado é matematicamente mensurável: das 65 milhões de residências, dois milhões têm potencial para ser automatizadas. Entretanto, apenas 300 mil casas utilizam esses sistemas", exemplifica Paulo, usando informações fornecidas pelo engenheiro José Roberto Muratori na palestra que ministrou na AEAARP.  

Dentre outras coisas, José Roberto disse que no Brasil, 1.200 empresas dedicam-se à automação. "É pouco, o que demonstra o gigantesco mercado que pode ser explorado por jovens profissionais e também por aqueles que ainda se iniciam na faculdade", afirma Paulo.  

O engenheiro Giulio Roberto Azevedo Prado, presidente do Conselho Deliberativo da AEAARP, considera que participar de uma entidade de classe, como é a associação, é uma maneira da sociedade civil se organizar e influenciar nos rumos da cidade. Um dos exemplos que ele cita é o gibi educativo lançado pela AEAARP em 2018.  

"No gibi, mostramos de forma lúdica o quanto profissionais habilitados são essenciais na elaboração de um projeto. Desta forma, incentivamos a formação de uma cultura na sociedade que valoriza o profissional, incentivando a contratação sempre que necessário, ao mesmo tempo em que mostramos para as pessoas que é possível viver confortavelmente e com segurança, e o quanto isso pode ser economicamente viável", exemplifica.  

A publicação é utilizada em ações educativas da AEAARP, em escolas e eventos públicos. A versão eletrônica está disponível para download no Portal AEAARP.  

O engenheiro Rodrigo Araújo, diretor social da associação, defende que, para além dos eventos técnicos, quando todos têm a oportunidade de conversar com profissionais que têm carreiras consolidadas no Brasil e no exterior, a entidade também abre as portas para novas relações comerciais com a realização de festas, como a Oktoberfest AEAARP.  

"O que nos define é o compromisso com os profissionais, com a sociedade e com a promoção dos associados. Neste tripé, fundaram a AEAARP há 70 anos e é sobre ele que nós, jovens profissionais, devemos seguir para solidificar nossa atuação no mercado, buscar novas oportunidades e estreitar relações com as áreas de interesse. Ninguém faz nada sozinho, a rede social nos aproxima e a relação humana nos fortalece", afirma Rodrigo, que tem 32 anos e há oito é associado à AEAARP.  

"Nosso papel é completamente diferente daquele desempenhado pelo conselho de classe. A AEAARP é parceira do conselho, mantendo sempre sua independência e agenda", explica Rodrigo. Ao conselho, continua o engenheiro, cabe fiscalizar a atuação profissional, garantir que as atividades que exigem habilitação sejam desempenhadas por aqueles que têm a formação adequada. À AEAARP, esclarece, cabe a tarefa de mostrar à sociedade a importância de contratar profissionais habilitandos, ampliando o mercado e as oportunidades, defendendo os interesses dos profissionais.  

"A entidade é uma grande fonte de novas experiências e aprendizados. Nesses oito anos, aprendi muita coisa na AEAARP, conheci muita gente importante e que me agregou novas relações de amizade e de negócios", conta.   



+ 70 anos
Carlos Alencastre, presidente da AEAARP, considera que todos os esforços empreendidos pela entidade, no sentido de sua organização administrativa, financeira e física, foram consolidados neste último ano. "Estamos preparados para pelo menos mais sete décadas".  

A AEAARP oferece serviços aos associados, como um exclusivo convênio com a Unimed, que a partir de dezembro passará a atender aos usuários da associação na sede da entidade (Rua João Penteado, 2.237). Além deste, a associação possui outros acordos que concedem benefícios em instituições de ensino superior e prestadores de serviços. Veja a lista completa de convênios aqui.  

A sede da entidade é dotada de espaços para eventos corporativos e sociais, que podem ser usados por associados em condições exclusivas. "Além disso, temos uma sala que todos os associados podem usar gratuitamente para atender seus clientes; é uma forma de proporcionar infraestrutura, necessária principalmente para quem está começando a carreira", conta Carlos.