22 de junho de 2024
- Publicidade -
Tudo Notícias

Azul e Gol compartilharão voos domésticos; entenda

Companhias anunciaram acordo que valerá apenas para rotas exclusivas de cada uma; entenda como funcionará

avião da azul
Cooperação comercial acontecerá por meio de codeshare (Foto: Agência Brasil)

Os clientes da Azul e da Gol poderão comprar passagens de uma viação pelos canais de venda da outra a partir do fim de junho. O anúncio dessa cooperação comercial foi feito nesta quinta-feira (23) e será possível graças ao codeshare (compartilhamento de código, em inglês).

Segundo o que foi divulgado, o acordo só valerá para rotas domésticas de operação exclusiva de uma das companhias. Em rotas que ambas as empresas têm voo disponível, o codeshare não contempla.

LEIA MAIS

Por que o nome da igreja é Bola de Neve?

Quando começa o pagamento dos aposentados?

Como funciona?

Por meio do codeshare, o passageiro utiliza os canais de pesquisa, de venda e os padrões de serviço de uma companhia para embarcar em outra. No entanto, check-in deverá ser feito nos guichês ou nos canais digitais da companhia que opera o voo. Nos voos com conexão, o cliente fará o check in na empresa que opera o primeiro trecho e automaticamente receberá os cartões de embarque de todos os voos.

- Publicidade -

O despacho de bagagens seguirá o mesmo procedimento, com o cliente despachando as malas na companhia que opera o voo ou o primeiro trecho, recebendo-as no destino final. Para remarcar ou cancelar a viagem, o passageiro deve procurar a companhia onde comprou a passagem.

Em comunicado, as duas companhias esclareceram que o acordo também abrange os programas de fidelidade. Membros do Smiles (da Gol) e do Azul Fidelidade acumularão pontos ou milhas no programa de sua escolha.

A data exata para o início das vendas com codeshare não foi informada. As duas empresas informaram apenas que os canais começarão a oferecer as rotas compartilhadas no fim do próximo mês.

Monitoramento

Nas redes sociais, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, destacou que esse tipo de parceria é comum no setor aéreo em diversos países. Destacou que o ministério e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) buscarão preservar as melhores condições para o consumidor brasileiro.

- Publicidade -

“Esse tipo de acordo comercial já ocorre entre outras companhias aéreas nacionais e internacionais ao redor do mundo. Nós esperamos que possa ampliar a conectividade entre os diversos destinos brasileiros, gerando maior complementaridade na malha nacional, oferecendo mais opções de voos para os brasileiros”, destacou Costa Filho.

No fim de janeiro, a Gol entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos, para levantar capital e reestruturar as finanças após a pandemia de covid-19. A companhia informou que o pedido não afeta as operações no Brasil. Na época, o governo informou que monitora os desdobramentos da recuperação judicial.

*Com informações de Agência Brasil

LEIA TAMBÉM

Quem é Pitty?

Compartilhe:
- Publicidade -
plugins premium WordPress