ACidadeON

Economia

Preços de bens de capital sobem 1,48% no IPP de maio, diz IBGE

IBGE IPP maio bens grupos

| Estadao Conteudo

Os bens de capital ficaram 1,48% mais caros na porta de fábrica em maio, segundo os dados do Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui a indústria extrativa e de transformação, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ocorre após os preços terem subido 1,88% em abril.

Os bens intermediários registraram avanço de 3,03% nos preços em maio, ante uma alta de 2,30% em abril.

Já os preços dos bens de consumo subiram 1,33% em maio, depois de uma elevação de 0,28% em abril. Dentro dos bens de consumo, os bens duráveis tiveram alta de 0,49% em maio, ante aumento de 0,13% no mês anterior.

Os bens de consumo semiduráveis e não duráveis encareceram 1,59% em maio, após a alta de 0,33% registrada em abril.

Marcas

A alta de 2,33% do IPP de maio foi a taxa mais elevada desde setembro de 2015, quando a inflação da indústria subiu 2,99%. O resultado também foi a segunda maior taxa da série histórica iniciada em janeiro de 2014.

Contribuições

O resultado do IPP de maio teve contribuição de 0,13 ponto porcentual de bens de capital; 1,76 ponto porcentual de bens intermediários e 0,44 ponto porcentual de bens de consumo.

No âmbito dos bens de consumo, os bens de consumo duráveis contribuíram com 0,04 ponto porcentual, enquanto o impacto de bens de consumo semiduráveis e não duráveis foi de 0,40 ponto porcentual.

Veja também