Aguarde...
ON Run

onrun

Mais curiosidades e acontecimentos históricos sobre a corrida de rua

Separamos mais algumas curiosidades e acontecimentos históricos sobre a corrida de rua para te deixar informado. Confira

| ON Run

Mais curiosidades e acontecimentos históricos sobre a corrida de rua. Crédito: Divulgação/pixabay
De tanto observar a quantidade de pessoas de várias idades e biótipos realizando a caminhada e a corrida de rua, você não resistiu e resolveu começar? 

Pensando nisso, selecionamos abaixo algumas curiosidades e acontecimentos históricos sobre a corrida de rua, para te ajudar a entender um pouco mais sobre essa apaixonante prova que compõem a modalidade do atletismo.

Uma das formas de nos manter firmes ou mais assíduos aos treinos é conhecendo um pouco mais sobre a modalidade ou tipo de atividade física que estamos praticando, afinal ler também é um exercício.  



Curiosidades
O cubano Rafael Fortún venceu a prova dos 100 metros e 200 metros rasos nos primeiros Jogos Pan-americanos, em 1951, na Argentina; quando voltou para Cuba, tinha sido demitido do emprego.

No Brasil, na categoria de 100 metros masculino, o primeiro recorde reconhecido foi do atleta Gil de Souza, vencedor do I Campeonato Brasileiro, em 1925, com o tempo de 23s.

Entre os esportes, o atletismo é um dos mais antigos. Sua prática consta desde os primeiros Jogos Olímpicos da Grécia antiga, realizados em 776 a.C., e mesmo após sua modernização ainda mantém em seu programa de competição provas semelhantes às daquela época, porém, bem mais diversificado, pois consta de 47 provas diferentes, sendo 24 para homens e 23 para mulheres. Essa diversificação se dá principalmente pelas diferenças encontradas na forma de execução e nas características atléticas requeridas por cada uma de suas provas.

Nos Jogos Olímpicos de 1948, em Londres, a distância da maratona olímpica foi estabelecida. Embora fosse variável, a distância sempre se aproximava dos 40 km. Para que a família real britânica pudesse assistir ao início da prova do jardim do Palácio de Windsor, o comitê organizador estabeleceu a distância total em 42.195m, que permanece até hoje. Vanderlei Cordeiro de Lima tornou-se uma das celebridades dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, quando, após liderar a maratona até por volta do 36º quilômetro, foi atacado e derrubado por um fanático religioso irlandês, o ex-sacerdote Cornelius Horan.

O futuro de um atleta, nas provas em que são determinantes a capacidade física, a velocidade e suas manifestações, resulta necessariamente de um treinamento específico desde idade precoce. Por esse motivo, não se pode descuidar da preparação, desde as primeiras fases da formação dos esportistas. O jovem jamais deve ser tratado como uma miniatura do adulto e, como tal, seu treinamento também deve considerar esse fator.

Acontecimentos históricos
O atletismo é um dos esportes que mais medalhas ganhou para o Brasil, em Olimpíadas e Jogos Pan-americanos. Também nos Mundiais, os atletas brasileiros têm subido no pódio. Além do bicampeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva, outros medalhistas em Olimpíadas foram Joaquim Cruz, João Carlos de Oliveira, Nélson Prudêncio, José Telles da Conceição e Róbson Caetano, e ainda a equipe no revezamento 4 x 100 metros, em Atlanta, com Róbson, Arnaldo de Oliveira, André Domingos da Silva e Édson Luciano Ribeiro. João Carlos de Oliveira e Róbson Caetano são ainda tricampeões da Copa do Mundo. Outros medalhistas de ouro são Nélson Rocha dos Santos e Altevir Araújo (4 x 100 metros) e Sérgio Matias (4 x 400 metros) as medalhas nos revezamentos os atletas conseguiram nas seleções das Américas. Zequinha Barbosa foi campeão mundial indoor e subiu no pódio no Campeonato Mundial duas vezes.

A palavra atleta em latim, athleta; em grego, athletes significa "competidor nos jogos". Ela originou-se de athlein, "competir por um prêmio", relacionado à athlos, "disputa", e a athlon, "prêmio".

Nascido em 1863, em Paris, o barão Pierre de Coubertin foi o criador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Ele fundou o Comitê Olímpico Internacional, alcançando seu objetivo de conscientizar a todos sobre os benefícios que o esporte podia proporcionar aos jovens. O barão definiu assim o ideal olímpico: "desenvolver nos homens a harmonia e a igualdade, através do aprimoramento físico" (COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO, 2010).

O etíope Abebe Bikila (1932) resolveu entrar para a guarda do imperador etíope, para ajudar a melhorar as condições de vida da família e deixou sua vila para andar até a capital do país para alistamento. Foi o primeiro atleta a ganhar duas maratonas consecutivas na história das Olimpíadas. Em 1960, virou lenda ao cruzar descalço o Arco de Constantino, em Roma. Sem tênis, com a sola dos pés ferida, estabeleceu o recorde mundial da maratona com o tempo de 2h 15min 16,2s. Ele tinha um treinador sueco, Onni Niskamen, na Olimpíada de Roma, em 1960, quando a maratona seria à noite. Até então, só havia realizado duas provas de maratona de 42.195km.

O primeiro recorde de que se tem notícia é do britânico William Collett, que, em 24 de novembro de 1866, em Londres, correu as 220 jardas (201,16 metros) exatamente em 23s.



Mais do ACidade ON