Aguarde...

Cotidiano

Prefeito pede R$ 27 milhões ao Governo para obras emergenciais

Ministro do Desenvolvimento Regional diz que a cidade tem que cumprir formalidades. Liberação dos recursos depende do pedido

| ACidadeON/São Carlos

Prefeito pede R$ 27 milhões ao Governo para obras emergenciais. Foto: Prefeitura São Carlos

O prefeito de São Carlos, Airton Garcia (PSB), está em Brasília, nesta quarta-feira (15), para pedir verbas para consertar estragos causados pela chuva no domingo (12). O objetivo é conseguir R$ 27 milhões para obras emergenciais como desobstruir as galerias e os viadutos e a reconstrução do asfalto.  

Segundo a Defesa Civil, choveu 167,8 milímetros em três horas. Com o grande volume de água, foram registrados alagamentos em diversos pontos da cidade.  

O maior prejuízo foi no comércio, onde 120 lojas foram atingidas e o prejuízo pela perca de mercadorias e danos estruturais é estimado em R$ 1 milhão. O asfalto também foi destruído.  

Início
De acordo com o ministro de Desenvolvimento Regional Gustavo Canuto, o município precisa cumprir alguns procedimentos para comprovar a necessidade da verba federal.  

O primeiro deles, que era renovar o decreto de emergência, já foi feito pela prefeitura, mas ainda falta fazer o reconhecimento desse decreto no governo federal, o que precisa ser feito até sexta-feira (17).

"A gente precisa o quanto mais rápido possível, mas a gente tem que cumprir as formalidades. Cumprindo já é difícil, imagina se não cumprir", afirmou Garcia.  

Prazo
De acordo com o ministro, o prazo para a liberação dos recursos depende do pedido feito, já que o prazo de reconhecimento federal leva de um a dois dias. 

"As ações de restabelecimento dependem da quantidade e complexidade, mas são poucos dias; as de reconstrução demoram um pouco mais, prazo de algumas semanas. Depende muito da qualidade do pedido apresentado, por isso que a gente frisou aqui na reunião para que peça aquilo que está associado ao desastre, associado às chuvas", afirmou Canuto.

O prefeito deve fazer outras reuniões no período da tarde. "Nós jogamos rede, tarrafa, espinhé para tudo quanto lado, depois vamos ver o que vai vir nessa rede, nesse espinhé, nós estamos lutando", afirmou.

Mais do ACidade ON