Aguarde...

Cotidiano

Pesquisadores da USP criam sistema para reduzir prejuízos em granjas

Tecnologia desenvolvida em São Carlos e Pirassununga (SP) é capaz de monitorar a distância e em tempo real as condições do aviário e definir ações que podem ser adotadas

| ACidadeON/São Carlos

Monitoramento automatizado é constante Foto: Nilson Porcel/EPTV
As altas temperaturas e a baixa umidade do ar afetam as granjas e causam prejuízos. Para ajudar o produtor rural, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos e de Pirassununga criaram um sistema de controle térmico, capaz de monitorar a distância e em tempo real as condições do aviário e, partir disso, definir quais ações adotar diante do clima.

Segundo os cientistas, o processo automatizado é mais eficiente, econômico e preciso que o método manual, no qual os produtores precisam se deslocar várias vezes ao dia até o aviário.

Eles afirmam que a tecnologia é acessível e, como o sistema é inteligente, há 80% de eficiência energética. Segundo o professor doutor Adriano Rogério Bruno Tech, o sistema custa para o produtor rural cerca de R$3 mil.

Testes
Os testes foram realizados em um aviário da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da USP em Pirassununga. O ambiente controlado, com umidade e temperatura corretas, é capaz de diminuir a mortalidade das aves e garantir produtividade.

A temperatura ideal no interior de aviários para aves adultas deve oscilar entre 15 e 28 graus, com a umidade relativa do ar variando de 40% a 80%. Com sensores e microcontroladores, é possível fazer um monitoramento completo de temperatura, umidade e até da incidência da luz do sol.

Todos os dados são armazenados na internet e interpretados por um programa de computador que avalia a situação térmica do aviário. Com base nessa análise, o software define as ações que devem ser tomadas enviando comandos para dispositivos eletrônicos conectados a objetos do local e define as ações que devem ser tomadas.  

Pesquisadores da USP de São Carlos e Pirassununga criam sistema de controle térmico. Foto: Nilson Porcel/EPTV
Controle a distância
O próprio programa envia os comandos para os sensores. Tudo é feito é distância e desse jeito o produtor não precisa ir ao galpão várias vezes ao dia para checar como está a situação. O monitoramento automatizado é constante, a leitura é feita a cada três minutos.

"O produtor não precisa se preocupar porque o sistema gerencia todos os riscos, a gestão da temperatura, da umidade e se elas estiverem fora do padrão da idade das aves, o sistema já atua no ambiente", disse Marcelo Eduardo de Oliveira, pós-doutorando em Tecnologia e Sistema de Informação da USP em entrevista à EPTV Central.

Caso o sistema perceba que no fundo do galpão, por exemplo, a temperatura está mais quente, ele aciona o ventilador. Se o criador quiser, também pode fazer os comandos sem a ajuda da inteligência artificial. Os pesquisadores desenvolveram um aplicativo para que os próprios produtores controlem o aviário se desejarem realizar alguma ação específica.

*Com informações da EPTV Central/G1 São Carlos e Araraquara.

Mais do ACidade ON