Aguarde...

cotidiano

Ginásio de São Carlos se prepara para o maior duelo da sua história

Local comportará um hospital de campanha de até 120 leitos para tratamento de pacientes da Covid-19. Expectativa do executivo é entregar a unidade em no máximo um mês

| ACidadeON/São Carlos

Hospital de campanha está sendo montado no Ginásio Milton Olaio Filho. Foto: CBN São Carlos
 

O movimento é intenso nos corredores de um dos maiores palcos esportivos do estado. Inaugurado em 2004 o ginásio com capacidade para quase nove mil espectadores e que já recebeu grandes competições e diversos shows, foi tomado por operários de todas as divisões. A correria é contra o tempo e também contra um inimigo que ganha campo a cada dia, o coronavírus.  

Acostumado a ver o movimento maior dentro da quadra que já recebeu até o Rei Roberto Carlos, hoje os anéis inferior e superior do ginásio é que estão em evidência. Os espaços de acesso às arquibancadas foram escolhidos pela qualidade do piso e também pela praticidade na montagem das estruturas para os 60 apartamentos, que terão capacidade de até 120 leitos de enfermaria para atendimento de baixa e média complexidade.  

Antes de optar pelo Ginásio, a Prefeitura também testou outras opções, o Estádio Luizão e o Centro de Convenções da UFSCAR estavam no radar. "O ginásio apresentou a melhor estrutura, com situações já prontas de cobertura, elétrica, hidráulica, banheiros e o piso do entorno da quadra de fácil limpeza", explicou Edson Ferraz, Secretário Municipal de Esportes e Cultura.  

Nesta primeira etapa da montagem foram investidos cerca de R$ 200 mil. Mas o valor para completar o hospital deve ser ainda maior, já que neste primeiro momento não estão inclusos na conta os insumos hospitalares, como camas e respiradores, por exemplo.  

No processo de montagem, iniciado há duas semanas, o espaço precisou receber uma nova pintura, tudo agora tem o tom branco característico dos hospitais como predominante. A parte estrutural está quase pronta, mas ainda há muito a ser feito antes de disponibilizar o local para atendimento. "A Secretaria de Saúde tem o tempo de conclusão com mais certeza, porque a procura por equipamentos hospitalares está grande em todo país. Entretanto, acredito que dentro de quinze dias ou no mais tardar um mês o espaço será entregue", disse.   

Movimentação é intensa para deixar tudo pronto. Foto: CBN São Carlos

Apoio de voluntários e medo em relação ao futuro 

Não são somente funcionários da prefeitura ou de empresas terceirizadas que estão se esbarrando pelos corredores do ginásio, diversos voluntários se prontificaram a ajudar neste momento de união de forças.  

Casos como da técnica de edificações, Luciana Camila da Silva, 38 anos, que, com o trabalho suspenso devido à pandemia, quis dar a sua contribuição. "A gente tá ajudando do jeito que pode, a hora é agora pra quem quer ajudar", contou.  

O micro empresário Euclides Sigoli, 51 anos, que atua no setor de transportes também aproveitou a parada causada pela quarentena para ajudar na montagem do hospital. "Tudo parado, sem trabalho, então vim oferecer minha mão de obra. O momento é de esforço por todos os lados pra que a gente consiga combater essa epidemia que vem nos afetando muito". 

Mas pra quem se acostumou com o espaço recebendo grandes jogos, montar um hospital não é uma tarefa fácil. "Triste demais, é uma situação que eu jamais imaginei que poderia acontecer. Ouvir do pessoal que algumas salas estão sendo preparadas para se tornarem necrotério é algo que choca, ainda mais pra quem já conviveu muito neste ginásio na parte esportiva", revelou Euclides.  

Na pasta há 16 anos, o Secretário de Esportes também se emociona quando questionado sobre a montagem da estrutura. "Monto com tristeza, pensar que muitas famílias estarão aqui é algo que até me emociona. Já fizemos Gran Prix e vários eventos grandes, hoje é este, mas fico na expectativa de não precisar utilizar", contou ainda esperançoso Edson Ferraz.   


Casos e situação hospitalar de São Carlos 

Hoje, São Carlos já confirmou duas mortes devido ao novo coronavírus. Outros quatro casos também foram confirmados pela prefeitura, porém os pacientes estão em tratamento da doença.  

No município outros 50 casos foram descartados e quatro mortes estão em investigação. A Prefeitura informou também que 31 pessoas seguem internadas com suspeitas da Covid-19.  

A Prefeitura salientou ainda que novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) serão instalados nos hospitais da cidade de maneira gradual.  

Hoje, São Carlos conta com 20 leitos de UTI pelo SUS e outros 20 na rede particular de saúde.  

A prefeitura pretende montar mais 50 novos leitos de alta complexidade.

Mais do ACidade ON